Início » Tocantins » São Valério da Natividade


São Valério da Natividade - Tocantins



São Valério da Natividade faz parte do estado do Tocantins. Encontra-se a uma latitude 11º58′30" sul e a uma longitude 48º14′01" oeste, estando a uma altitude de 360 metros. A população avaliada em 2004 era de 5 679 habitantes. Possui uma área de 2547,31km².

Uma das peculiaridades do Município de São Valério encontra-se no distrito de Apinagé, localizado a 60 quilômetros da sede. Esta localidade, as margens do rio Manoel Alves, é constituído por uma população com forte ascendência escrava, possuindo uma cultura bastante peculiar, cujas casas ainda são construídas, em sua maioria de tijolos de Adobe e cobertas por palha de Pe de Buriti. Todas as casas possui ernegia elétrica e água encanada. O povoado possui cerca de 500 moradores.

Desde o ano de 2003, essa vida pacata, vem sendo alterada pela presença de paranaenses que estão chegando para plantar soja. Está sendo iniciada a derrubada sistemática do serrado.

História da cidade de São Valério

Tocantins-TO

Na época da colonização, emissários da Coroa de Portugal, procedentes de Vila Boa de Goiás (Goiás Velho), Cavalcante, também em Goiás, passando por São João da Palma (Paranã), atravessando o rio Tocantins pelo "Porto do rio Tocantins" (cidade de Peixe), depois o rio Manoel Alves, no local onde hoje se encontra o distrito de Apinajé, passando por Santa Rosa, rumo ao arraial de São Luiz (Natividade), que foi sede da Ouvidaria Geral da Capitania do Norte. Em tempos remotos, foi o "caminho" por onde passou a imagem de nossa Senhora da Natividade, trazida em 1735, inicialmente em embarcação pelo rio Tocantins, depois nos ombros de escravos até o pé da Serra de Natividade. Desde 1806, Joaquim Theotônio, o Ouvidor Geral da Província de Goiaz, assim nomeado por D. Jão VI em 1804, com certeza também atravessou o rio Manoel Alves ali no Apinajé (no nordeste do município) que se tornou distrito de Natividade e depois de São Valério da Natividade.

A primeira capela foi ali construída em 1921, denominada igreja de Nossa Senhora do Terço, depois Nossa Senhora do Rosário. Seus primeiros moradores foram (ordem alfabética) Dona Ambrósia, Cecílio Marques, Dona Francelina, Dona Gertrudes, Gumercindo Barreira de Macedo, Luis Pinto Cerqueira, Raimundo Coreiro ( o que comprava couro), Teodoro Barreira e sua mulher Dona Joaninha (a parteira) e outros. Outro caminho antigo ( bem ao sul) era o que, partindo de São João da Palma ( Paranã) seguia para leste, rumo à "Contagem do Príncipe" ( posto de tributação de gado em trânsito de uma capitania para outra e dali para Natividade. No meio do caminho surgiu um aglomerado humano, denominado Serrinha, hoje Serranopólis, cujos pioneiros foram (ordem alfabética): Benedito Sarzeda, que organizava as folias em prol da construção da capela de São Bom Jesus, no centro do arraial da serrinha, João Durêncio, Joaquim Bento, primeiro comerciante, Luis Catarino, Martins, a professora Nicaci, Petrolino Gonzaga e outros.

O tempo passou e um novo caminho central foi sendo desenhado a partir de Peixe rumo a Natividade, antes da construção da ponte José Sarney, passando (e parando) no famoso "restaurante da baiana" de propriedade de Maria Alves da Silva e Du Reis, atravessando em balsa o rio Tocantins. Este trecho foi incluído no traçado original da rodovia federal BR-242, obra idealizada ainda no governo Jusceklino Kubitschek, ligando o porto de Salvador na Bahia à BR-163, no Mato Grosso, numa extensão de 2115 km, dos quais 500km dentro do então Estado de Goiás, hoje Tocantins, incluindo a travessia da Ilha do Bananal.

No ano de 1971, o fazendeiro Jão Sobrinho cedeu uma área em sua fazenda á margem desta rodovia em um local distante, questão de mil metros, da margem direita do rio São Valério. Nesse local, com ajuda de sua família, ergueu uma edificação rústica e foi buscar Abias Milarindo de Castro, que veio do povoado Romão, para ministrar aulas de alfabetização aos filhos dos moradores da fazenda Garroba e também da redondeza, tornando-se o primeiro morador que, em 7 de junho de 1971 cumpriu seu primeiro dia de professor.

Famílias vindas da Bahia, do Maranhão, do Piauí e de Goiás foram chegando e construindo suas moradias em adobe, cobertas com palha de buriti, dando origem ao povoado de Goianorte, em território nativitano.

Dedicavam-se ao cultivo de pequenas roças de arroz, milho, mandioca, feijão, banana, cana-de-açúcar, amendoim e a criação, extensiva de gado. Dentre eles, Anísio Barbosa Bonfim, Augusta Lopes Araújo Reis, Bonfim Pereira dos Reis, conhecido por Bonfim Zoião, Claro Moura da Silva, Domingos Gonzaga, Elmira Lopes, Euclides Lopes, gerente da Casego, João Sobrinho, que construiu a primeira escola, Dona Isabel Bispo, mãe do outro Euclides, José Rodrigues, conhecido por Zé Primeiro por ter sido o primeiro comerciante, Manezinho Frandeiro, Manoel Mineiro, o segundo comerciante, estabelecido onde hoje se encontra o Bazar Soares, o comerciante Nené Velho, Pedro Rones da rodoviária. Raimundo Rabelo, Ramiro, sogro do Manoel Mineiro, Rochão e outros.

O transporte era difícil e se fazia também em canoas pelo rio São Valério. João Sobrinho doou uma área da mesma fazenda para que fosse erguida a capela de Santo Antônio, onde se iniciaram as novenas e as festas do padroeiro Santo Antônio, onde o Padre Faustino rezou a primeira missa. Em meados da década de 1970, com a construção da escola Municipal José Lopes Chaves, a escolinha do professor Abias deu lugar a " casa do motor-gerador de energia", que funcionava nos dias úteis apenas das 18h00 ás 22h00; em finais de semana e véspera de feriados até meia noite.

Atraídos por boas terras, ainda a preços acessíveis, agricultores de outros estados foram chegando: gaúchos, mineiros, paranaenses, paulistas e goianos também.

A construção da ponte sobre o rio Manoel Alves, ligando Goinorte a Natividade, já havia melhorado a comunicação e os transporte da região, mas o povo continuava em busca da emancipação.

Formação Administrativa

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de São Valério da Natividade, pela lei estadual nº 10420, de 01-01-1988, desmembrado de Natividade.

Sede no atual distrito de São Valério da Natividade.

Constituído do distrito sede, instalado em 01-01-1989.

Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Em 14 de dezembro de 2007, pela Lei Estadual n° 1.865, altera a toponímia para São Valério

Alteração toponímica municipal

São Valério da Natividade para São Valério , alterado pela Lei Estadual n°1.865, de 14/12/2007

Fonte: Halum, Cézar Hanna Municípios tocantinenses-suas origens, seus/Cezar Hanna Halum.-Palmas: Provisão, 2008.(com adptação) 362p.:il Prefeitura Municipal

Autor do Histórico: JOSé RIBAMAR DE OLIVEIRA

Código do Município

1720499

Gentílico

são valeriano

Prefeito

OLIMPIO DOS SANTOS ARRAES

População
População estimada [2018]4.017 pessoas  
População no último censo [2010]4.383 pessoas  
Densidade demográfica [2010]1,74 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,6 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]307 pessoas  
População ocupada [2016]7,4 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]47,7 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]96,2 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,6  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]5  
Matrículas no ensino fundamental [2017]753 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]167 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]59 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]15 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]5 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]16.763,31 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]93,3 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,643  
Total de receitas realizadas [2017]14.692,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]12.846,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]17,24 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,2 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]4 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]2.519,585 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]5,8 %  
Arborização de vias públicas [2010]1,6 %  
Urbanização de vias públicas [2010]0 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


São Valério da Natividade: Imagens da cidade e Região

imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-1
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-2
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-3
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-4
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-5
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-6
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-7
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-8
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-9
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-10
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-11
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-12
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-13
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-14
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-15
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-16
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-17
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-18
imagem de S%C3%A3o+Val%C3%A9rio+da+Natividade+Tocantins n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de São Valério da Natividade e arredores.


Você conhece a cidade de São Valério da Natividade? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: