Início » São Paulo » Itapetininga


Itapetininga - São Paulo



Itapetininga faz parte do estado de São Paulo. Encontra-se a uma latitude 23º35′30" sul e a uma longitude 48º03′11" oeste, estando a uma altitude de 656 metros. A população avaliada em 2008,segundo o SEADE, era de 145.075 habitantes, com taxa de crescimento anual de 1,67%.

É conhecida, também, como "Terra das Escolas", "Atenas do Sul Paulista" e "Terra da Cultura".

Durante a Revolução de 1924, Itapetininga tendo a frente seu líder Coronel Fernando Prestes de Albuquerque, então presidente do estado, combateu os revoltosos e defendeu a legalidade.

História da cidade de ITAPETININGA SãO PAULO

Vocábulo de origem tupi-guarani, segundo Theodoro Sampaio, Itapetininga significa pedra enxuta ou laje sêca, pois, deriva de itapé - corruptela de itapeva = pedra, laje e tininga = sêca, enxuta.

Nos primórdios de 1700, a Vila de Sorocaba era o local para onde convergiam aqueles que negociavam com animais.

Havia um "pouso" às margens do Rio Itapetininga, distando doze léguas da Vila Sorocaba, que abrigava aqueles que demandavam ou provinham do Sul.

Por esse "pouso", onde hoje se localiza o Bairro Porto, passara inúmeras vezes Domingos José Vieira, natural de Braga, (Mosteiro da Beira) Portugal. Homem trabalhador e de espírito empreendedor, Domingos José Vieira resolveu, com alguns companheiros, fixar-se nas terras do " pouso" e alí iniciar algumas plantações.

Em breve surgiu um pequeno arraial.

Decorridos alguns anos, as matas foram sendo dizimadas e a terra perdendo a fertilidade.

Resolveu, então José Vieira, no que seguido por outros moradores, procurar um local onde as condições à vida fossem mais favoráveis ao homem.

Fundaram, então em local não muito distante do antigo pouso, um pequeno arraial

Por essa ocasião, novos povoadores, sob a direção de Paschoal Leite de Moraes, foram chegando e passaram a residir no local que havia sido abandonado por Domingos José Vieira.

Os novos habitantes dedicavam-se à agricultura e à pecuária. Assim, o velho e abandonado pouso voltou à vida, desenvolveu e prosperou.

Com o crescente desenvolvimento dos dois povoados rivalidades foram surgindo entre os dois chefes, que passaram a disputar a criação oficial da vila.

As notícias da rivalidade que passou a existir entre os dois povoados foram ter à Sorocaba e dali, pouco depois, chegava à sede da Capitania.

Dom Luiz Antônio de Souza Botelho Mourão, Capitão-General da Capitania, em 17 de abril de 1768, ordenou que fosse fundada a povoação de Itapé-Tininga e para tal nomeou a Simão Barbosa Franco, a quem competia escolher o sítio, fundar e administrar a nova povoação.

A 6 de julho de 1768 chegava às paragens onde estavam situadas as duas povoações.

Depois de estudos e ponderações Simão Barbosa Franco decidiu eleger o núcleo comandado por Domingos José Vieira, que é o sítio onde atualmente se encontra Itapetininga.

GENTíLICO: ITAPETINGANO

FORMAçãO ADMINISTRATIVA

Freguesia criada com a denominação de Itapetininga, por Ordem de 1770, no Município de Vila de Sorocaba.

Elevado a categoria de vila com a denominação de Itapetininga, por Portaria de 01 de janeiro de 1771, desmembrado do termo da antiga Vila de Sorocaba. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificouse no dia 11 de março de 1771.

Cidade por Lei Provincial nº 5, de 13 de março de 1855.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Itapetininga se compõe de 2 Distritos: Itapetininga e Alambari.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Município de Itapetininga se compõe de 4 Distritos: Itapetininga, Alambari, Gramadinho, e Morro Alto.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o Município de Itapetininga compreende

o único termo judiciário da comarca de Itapetininga e se compõe de 6 Distritos: Itapetininga, Aparecida do Sul, (Aparecida em 1937), Alambari, Gramadinho, Morro Alto e Sarapuí.

No quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Itapetininga permanece como único termo judiciário da comarca de Itapetininga e se divide em 4 Distritos: Itapetininga, sub-dividido em 2 zonas: Itapetininga e Aparecida do Sul (1ª e 2ª); Alambari, Gramadinho e Morro Alto.

No quadro fixado, pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para 1939-1943, o Município de Itapetininga é composto dos Distritos de Itapetininga sub-dividido em 2 zonas: 1ª, Itapetininga, 2ª, Aparecida do Sul; Alambari, Gramadinho e Morro Alto e é termo da comarca de Itapetininga, formada de 1 único termo, Itapetininga termo esse formado por 4 Municípios: Itapetininga, Angatuba, São Miguel Arcanjo e Sarapuí.

Pelo Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, a 1ª zona Distrital de Itapetininga e a 2ª zona Distrital de Itapetininga (Aparecida do Sul) passam a ser, respectivamente, 1ª e 2ª sub-distritos.

No quadro fixado, pelo referido Decreto-lei 14334, para vigorar em 1945-1948, o Município de Itapetininga ficou composto dos Distritos de Itapetininga com 2 sub-distritos: 1ª e 2ª ; Alambari, Gramadinho e Morro Alto, e constituí o único termo judiciário da comarca de Itapetininga, a qual é formada pelos Municípios de Itapetininga, Angatuba, São Miguel Arcanjo e Sarapuí.

Permanece composto dos Distritos de Itapetininga, Alambari, Gramadinho e Morro do Alto, nos quadros territoriais fixados pelas Leis Estaduais nos 233, de 24-XII-1948 e 2456, de 30-XII-1953 para vigorar, respectivamente, nos períodos 1949-1953 e 1954-1958.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-VII-1960.

Lei Estadual no 2343, de 14 de maio de 1980, cria o Distrito de Rechan e incorpora ao Município de Itapetininga.

Em divisão territorial datada de 01-VI-1983, o município é constituído de 5 Distritos: Itapetininga, Alambari, Gramadinho, Moro Alto e Rechan.

Lei Estadual no 7644, de 30 de dezembro de 1991, desmembra de Itapetininga o Distrito de Alambari.

Em divisão territorial datada de 01-VI-1995, o município é constituído de 4 Distritos: Itapetininga,

Gramadinho, Moro Alto e Rechan. Decreto Lei no 705, de 09 de setembro de 1996, cria o Distrito de Tupy e incorpora ao Município de Itapetininga Em divisão territtorial datada de 15-VII-1997, o município é constituído de 5 Distritos: Itapetininga, Gramadinho, Morro Alto, Rechan e Tupy. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-VII-1999.

Fonte: IBGE

Código do Município

3522307

Gentílico

itapetingano

Prefeito

SIMONE APARECIDA CURRALADAS DOS SANTOS

População
População estimada [2018]162.231 pessoas  
População no último censo [2010]144.377 pessoas  
Densidade demográfica [2010]80,65 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,1 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]38.268 pessoas  
População ocupada [2016]24,1 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]33,5 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]96,4 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6.3  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]5.3  
Matrículas no ensino fundamental [2017]20.292 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]6.746 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]1.106 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]519 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]77 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]32 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]29.339,86 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]73,2 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.763  
Total de receitas realizadas [2017]448.514,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]426.755,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]5,61 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]48 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]1.789,350 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]92,9 %  
Arborização de vias públicas [2010]81,5 %  
Urbanização de vias públicas [2010]30 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Itapetininga: Imagens da cidade e Região

imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-1
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-2
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-3
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-4
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-5
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-6
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-7
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-8
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-9
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-10
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-11
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-12
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-13
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-14
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-15
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-16
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-17
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-18
imagem de Itapetininga+S%C3%A3o+Paulo n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Itapetininga e arredores.


Você conhece a cidade de Itapetininga? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: