Início » São Paulo » Ibirarema


Ibirarema - São Paulo



Ibirarema faz parte do estado de São Paulo. Encontra-se a uma latitude 22º49′03" sul e a uma longitude 50º04′21" oeste, estando a uma altitude de 483 metros. Sua população é de 7.235 habitantes.

Possui uma área de 228,5km².

Ibirarema, segundo Silveira Bueno, é vocábulo indígena que significa "madeira fétida": pau-d′alho. Do tupi ybyrá: madeira ou árvore; e rema (por nema): fedido, fedorento.

História da cidade de IBIRAREMA SãO PAULO

O atual Município de Ibirarema, teve início numa pequena povoação denominada PAU D′ALHO, que se estendia ao longo da margem direita de um pequeno rio com esse mesmo nome, ao meio de exuberantes e fertilíssimas terras, cuja predominância era para o pau d′alho, e que por isso mesmo, talvez, emprestasse o nome ao rio que banhava e à povoação que surgia.

Foi uma povoação que nascera, talvez, pela necessidade dos moradores que se espalhavam ao longo do Rio Paranapanema, para o enterro de seus mortos, pois a criação de um povoado com cemit rio, encurtaria bem as dis`^ancias que se tinha de percorrer, procurando os de Platina - SP, Bela Vista ( atual Echaporã), Campos Novos do Paranapanema ( atual Campos Novos Paulista) ou Salto Grande, e, ainda mais, por ser alí, um ponto de pousada forçada para os viajantes que se dirigiam do já grande vilareja de Campos Novos do Paranapanema ( atual Campos Novos Paulista) a Salto Grande do Paranapanema ( atual Salto Grande), rumando a Cerqueira Cesar e vice-versa.

Isto, até os primórdios de 1909, quando as primeiras explorações para a futura passagem da Estrada de Ferro Sorocabana, que, acompanhando o rio Paranapanema, rumava para o Estado de Mato Grosso, naturalmente, teve de passar pelas terras que circundavam a pequena povoação de Pau D′Alho.

Foi então, mais ou menos em 1913, alguém teve a idéia de se transferir para mais perto da via férrea, instalando-se junto à picada demarcatória da Estrada de Ferro, e outros, juntaram-se aos primeiros, abandonando à primitiva povoação e passando-se para a segunda nascente. Com o abandono de quase todos os seus moradores, esse povoado, perdeu-se por completo, emprestando até mesmo o seu nome ao segundo, sendo que nos dias de hoje, sometne ruínas e pequenos sinais do povoado, restam alí.

Entre outras pessoas vindas de princípio, destacam-se os nomes de João Corrêa, peimeiro dono de "venda", instalada nas terras de propriedade de Nadario Marana, sendo que este último, com a chegada dos primeiros trilhos da estrada de ferros, teve de arrancar a sua segunda casa ainda em construção, para dar lugar à linha que avançava, e, à poucos metros atras, ergueu-se o primeiro " rancho" para as paradas dos trens e guarda das ferramentas e depois, a Estação "rancho" para as paradas dos trens e guarda das ferramentas e depois, a Estação definitiva da Estrada de Ferro sorocabana, inaugurada a 12 de fevereiro de 1914.

Com a passagem da Estrada de Ferro, o lugar começou a crescer e foi então que pela Lei nº 1883, de 11 de dezembro de 1922, foi criado o Distrito de Pau S′Alho ( atual Ibirarema), e como tal, instalado no dia 3 de maio de 1923, no Muncípio e Comarca de Salto Grande.

Na Divisão Administrativa referente ao ano de 1933, e nas territoriais de 31 de dezembro de 1939 e 32 de dezembro de 1937, Pau D′Alho figura como Distrito do Município de Salto Grande, assim permanecendo no qudro anexo ao Decreto-Lei EStadual de nº 9037, de 31 de março de 1938, para vigorar no quinquenio 1939- 1934, ovservando-se, porém, que, em 1936 e 1937, ele consta apenas, como Distrito Judiciário do mencionado Município.

Pelo Decreto-Lei EStadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fizou o quadro para a vigência no peíodo 1945-1948, foi criado o Município de IBIRAREMA, constituído pelos Distritos de Ibirarema ( ex-Pau D′Alho), desfalcado de parte de seu território, e Nuterama ( ex-Campos Novos), trasferidos, respectivamente, dos Municípios de Salto Grande e Echaporã ( ex- Bela Vista).

Ainda por força desse Decreto, o Município de Ibirarema adquiriu, para o Distrito de Nuretama, partes dos de Ocauçu (ex-Casa Grande), Paltina e Echaporã, dos Municípios de Marília, Palmital e Echaporã, respectivamente, e perdeu parte do território de Deistrito de Nuretama, para os de Ocauçu e Amadeu Amaral, do Município de Marília, ficando constituído pelos Distritos de Ibirarema e Nuretama, unido ao termo e comarca de Palmital.

De acordo com o Decreto-Lei Estadual n167 14334, de 30 de novembro de 1944, posto em execução em 1945, que fixou o quadro da divisão territorial, Adminstrativo-Judiciária do Estado de São Paulo, para o quatriênio 1945-1948, o Município de Ibirarema está subordinado ao Termo e Comarca de Palmital.

Pila Lei nº 233, de 24 de dezembro de 1948, que deu novamente autonomia de Município ao Distrito de Nuretama, com o nome de Campos Novos Paulista, ficou então o Município de Ibirarema constituído de um único Distrito, o de Ibirarema, condições que perduram até os dias de hoje.

GENTíLICO: IBIRAREMENSE

FORMAçãO ADMINISTRATIVA

Distrito criado com a denominação de Pau D′Alho, por Lei Estadual no 1889, de 11 de dezembro de 1922, no Município de Salto Grande.

Elevado à categoria de município com a denominação de Ibirarema, por Decreto-Lei Estadual no 14334, de 30 de dezembro de 1944, desmembrado de Salto Grande, Palmital e Echaporá (Ex-Bela Vista), com Sede na antiga Vila de Pau d′Alho. Constituídos de 2 Distritos: Ibirarema e Nuretama. Sua instalação verificou-se no dia 01 de janeiro de 1945.

Fixado o quadro territorial para vigorar em 1945-1948 o município ficou composto de 2 Distritos: Ibirarema e Nuretama.

Lei Estadual no 233, de 24 de dezembro de 1948, desmembra do Município de Ibirarema o Distrito de Campos Novos Paulista (Ex-Nuretama).

Aparece no quadro territorial fixado para 1949-1953, pela Lei no 233, de 24-XII-1948, apenas com o Distrito Sede.

Assim permanecendo no fixado pela Lei no 2456, de 30-XII-1953, para vigorar no período 1954-1958.

Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído do Distrito Sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

Fonte: IBGE IBGE (SINOPSE ESTATíSTICA)

Código do Município

3519501

Gentílico

ibiraremense

Prefeito

THIAGO ANTÔNIO BRIGANÓ

População
População estimada [2018]7.663 pessoas  
População no último censo [2010]6.725 pessoas  
Densidade demográfica [2010]29,45 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,1 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]796 pessoas  
População ocupada [2016]10,7 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]34,1 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97,4 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6,3  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,2  
Matrículas no ensino fundamental [2017]745 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]204 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]35 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]20 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]2 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]47.003,22 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]82,5 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,708  
Total de receitas realizadas [2017]27.437,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]23.892,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]13,89 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]1 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]228,230 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]88,4 %  
Arborização de vias públicas [2010]99,8 %  
Urbanização de vias públicas [2010]3,4 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Ibirarema: Imagens da cidade e Região

imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-1
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-2
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-3
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-4
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-5
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-6
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-7
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-8
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-9
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-10
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-11
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-12
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-13
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-14
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-15
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-16
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-17
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-18
imagem de Ibirarema+S%C3%A3o+Paulo n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Ibirarema e arredores.


Você conhece a cidade de Ibirarema? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: