Início » São Paulo » Barra Bonita


Barra Bonita - São Paulo



Barra Bonita faz parte do estado de São Paulo.

Barra Bonita é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de Estância Turística, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

Foi, outrora, grande centro ceramista. Por conta da retirada indiscriminada de argila das margens do rio Tietê, a CESP (atualmente AES Eletropaulo) interrompeu a concessão da retirada da matéria-prima das cerâmicas, fato este que fez com que as grandes indústrias do ramo cessassem suas atividades, e grande parte das mesmas procurasse outros municípios para se estabelecer.

História da cidade de BARRA BONITA SãO PAULO

A região foi explorada desde o bandeirantismo, na época que desciam o rio Tietê, em direção ao oeste, mas a colonização efetiva somente teve início entre os anos de 1883 e 1886, quando o Coronel José de Salles Leme, o "Nhonhô de Salles", procedeu o desmatamento para cultivo de café e criação de gado, introduzindo grande número de imigrantes italianos.

Salles Leme, em sociedade com o Major João Batista Pompeu, abriu uma casa comercial e, auxiliados por Salvador de Toledo Pizza e Ezequiel Otero, entre outros, promoveram a formação do povoado, junto à barra do córrego afluente do Tietê, de grande beleza, posteriormente denominado Córrego Barra Bonita, originando, também, o nome do povoado.

A travessia do rio, entretanto, era difícil, de forma tal que o aglomerado surgido na margem oposta somente pode ser integrado a Barra Bonita, em 1915, quando Manuel Ferraz de Campos Salles, proprietário de terras no local e então Presidente da República, construiu a ponte ligando as duas partes.

Apesar da Estrada de Ferro Barra Bonita ter entrado em atividade na década de 1920, o desenvolvimento do Município(criado em 1906) somente ocorreu vinte anos depois, com novos loteamentos, melhoramentos públicos, instalação de pequenas indústrias e cultura da cana-de-açúcar que possibilitou uma grande demanda de mão-de-obra.

GENTíLICO: BARRA-BONITENSE

FORMAçãO ADMINISTRATIVA

Distrito criado com a denominação de Barra Bonita, por Lei Estadual nº 459, de 26 de novembro de 1896, no Município de Jau .

Sendo sua Sede elevado à categoria de vila pela Lei de nº 1038, de 19 de dezembro de 1906.

Segundo a divisão administrativa do Brasil referente ao ano de 1911, o mencionado Distrito pertence ao Município de jaú.

Elevado à categoria de município com a denominação de Barra Bonita, por Lei Estadual nº 1338, de 14 de dezembro de 1912, desmembrado de Jaú. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificouse no dia 08 de março de 1913.

Na divisão administrativa referente ao ano de 1933 e nas territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Barra Bonita figura, unicamente, como Distrito Sede.

De acordo com o quadro fixado pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para vigorar no quinquênio 1939-1943, Barra Bonita adquiriu para o Distrito deste nome, o território do extinto Distrito de Igaraçu, do Município de São Manuel. Assim por força do citado Decreto, o Município de Barra Bonita permanece com um único Distrito, - Barra Bonita, - o qual se compõe de duas zonas, denominadas Barra Bonita e Igaraçu.

Pelo Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro da divisão territorial administrativo-jidiciária do Estado de São Paulo, vigente em 1945-1948, o Município continua composto do único Distrito de Barra Bonita; apenas as zonas Distritais Barra Bonita e Igaraçu, em que o mesmo se subdividia, passaram a denominar-se 1º e 2º Subdistritos, respectivamente.

Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído do Distrito Sede.

Assim pemanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

Fonte: IBGE

Código do Município

3505302

Gentílico

barra-bonitense

Prefeito

JOSÉ LUIS RICI

População
População estimada [2018]36.127 pessoas  
População no último censo [2010]35.246 pessoas  
Densidade demográfica [2010]235,12 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,6 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]13.144 pessoas  
População ocupada [2016]36,2 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]30 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]99,8 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6,7  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,9  
Matrículas no ensino fundamental [2017]3.708 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]1.298 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]283 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]156 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]16 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]10 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]38.128,22 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]68,8 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,788  
Total de receitas realizadas [2017]115.636,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]103.440,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]9,2 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]2,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]10 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]150,121 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]99 %  
Arborização de vias públicas [2010]96,4 %  
Urbanização de vias públicas [2010]20,6 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Barra Bonita: Imagens da cidade e Região

imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-1
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-2
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-3
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-4
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-5
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-6
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-7
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-8
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-9
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-10
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-11
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-12
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-13
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-14
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-15
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-16
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-17
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-18
imagem de Barra+Bonita+S%C3%A3o+Paulo n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Barra Bonita e arredores.


Você conhece a cidade de Barra Bonita? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: