Início » São Paulo » Alumínio


Alumínio - São Paulo



Alumínio faz parte do estado de São Paulo. Encontra-se a uma latitude 23º32′06" sul e a uma longitude 47º15′43" oeste, estando a uma altitude de 790 metros. A população avaliada em 2004 era de 16.019 habitantes.

Possui uma área de 83,739km².

As origens do município de Alumínio remontam ao ano de 1899, quando foi inaugurada a estação ferroviária de Rodovalho, em homenagem a Cel. Antônio Proost Rodovalho, dono de uma fábrica de cimento que estava sendo construída na região na época. A fábrica funcionou até a década de 1920, quando a mesma foi fechada; anos mais tarde, Antônio Pereira Ignácio adquiriu o antigo prédio da fábrica de Rodovalho e nela começou a fabricar vidros, passando a fabricar mais tarde outros produtos, em escala reduzida de produção. Em 1941, era fundada a Companhia Brasileira de Alumínio, que iria se instalar ao lado da estação Rodovalho, mas a guerra impediu a sua imediata implantação. Somente em 1946, a Estrada de Ferro Sorocabana mudou o nome da estação de Rodovalho para Pereira Ignácio e, logo depois, para Alumínio, originando o nome do pequeno núcleo urbano que ali estava se formando. A Cia. Brasileira de Alumínio iniciou as suas operações somente 14 anos depois da sua fundação, em 1955. Alumínio pertenceu ao município de São Roque até 1957, quando o município de Mairinque foi emancipado; mesmo assim, Alumínio continuou sendo um bairro, desta vez de Mairinque. Em 1991, Alumínio finalmente se tornou município.

História da cidade de Alumínio

A história do Município de Alumínio iniciou por ocasião da construção da Cia. Sorocabana de Estrada de Ferro e quando o Cel. Antônio Proost Rodovalho ao tomar conhecimento das reservas de calcário existentes, adquiriu terras nas proximidades do município de São Roque, dando a elas o nome de Fazenda Santo Antônio. Ao comprar a fazenda surgiu a primeira iniciativa para a fabricação de aglomerantes hidráulicos e as primeiras providências para a instalação de uma fábrica de cimento. Assim, após a construção de umprédio em 1892, deu-se início à fabricação do cimento ´Rodovalho´´.

Após a construção da Estrada de Ferro Sorocabana (hoje Ferroban), foi necessárioa construção de uma estação ferroviária para escoamento da produção de cimento. Concluída em 10 de julho de 1895, esta estação é aberta ao tráfego e recebe o nome de Estação Rodovalho, em homenagem ao proprietário da Fábrica de cimento.

Em 1921, por motivos desconhecidos a fábrica é fechada e em seguida vendida para o imigrante português, Antônio Pereira Ignácio que continuou com a fabricação de cimento. Como a indústria de cimento dava bons resultados, em 1935, Antônio Pereira Ignácio, resolveu construir uma grande fábrica de cimento no bairro de Santa Helena, em Votorantim.

Com a inauguração dessa fábrica em 1936, o cimento passou a chamar ´Cimento Votoran´, prevalecendo com este nome até os dias atuais. Nessa época a fazenda que chamava Fazenda Santo Antônio, passou a bairro do Município de Mairinque e a chamar Rodovalho. Portanto, em Rodovalho ficou somente a indústria de cal hidráulica, olarias, extração de pedras e a exploração de lenha para suprir as necessidade da empresa que continuava sendo administrada, também por Pereira Ignácio. Este, diante de sua visão empreendedora e já formada a Sociedade Anônima Votorantim , em 1941, iniciou a montagem, no local, da fábrica de alumínio com a perspectiva de exploração do minério da bauxita, para a produção de alumínio.

Antônio Pereira Ignácio, juntamente com seu genro, José Ermírio de Moraes iniciou as atividades da nova fábrica, dando-lhe o nome de Cia. Brasileira de Alumínio(C.B.A), que teve sua inauguração em 04 de junho de 1955, empresa hoje conhecida mundialmente. Com a instalação da C.B.A, o bairro passou a chamar Alumínio, assim como a Estação Ferroviária. Entretanto, continuou a pertencer ao Município de Mairinque

. Após anos de luta e expectativa, o populoso bairro é elevado à categoria de Distrito da cidade de Mairinque pela Lei Estadual nº 2.343, de 14 de maio de 1980, aprovada pela Assembléia Estadual e promulgada pelo Governador Paulo Salim Maluf, dando assim o primeiro passo para sua emancipação. Com a elevação à distrito de Mairinque o bairro recebeu a demarcação territorial, estabelecendo suas divisas entre os Municípios de Mairinque, Sorocaba, Votorantin e Ibiúna.

Com uma população de 13.500 habitantes, na ocasião da elevação a distrito, Alumínio já era praticamente uma cidade e continuava como esteio de todo seu desenvolvimento a Cia Brasileira de Alumínio. O Distrito já tinha como ponto alto a Educação e nesta parte não podemos deixar de mencionar o nome do Eng. Antônio de Castro Figueirôa que, não obstante ocupar o cargo de diretor da C.B.A., deu o máximo de si em prol da educação, da formação do povo aluminense e de sua emancipação. Após 04 anos de elevação à distrito, Alumínio iniciou a batalha por sua emancipação. Com várias condições favoráveis, entre elas: cinco vereadores aluminenses na Câmara Municipal de Mairinque, como o atual Prefeito, José Aparecida Tisêo; número de habitantes superior a 10 mil; eleitorado superior a 10% do total de habitantes e renda mínima suficiente.

Gentílico: aluminense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Alumínio, pela lei estadual nº 2343, de 14-05-1980, subordinado ao município de Mairinque.

Em divisão territorial datada de 1988, o distrito de Alumínio figura no município de Mairinque.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1991.

Elevado à categoria de município com a denominação de Alumínio, pela lei estadual nº 7644, de 30-12-1991, desmembrado do município de Mairinque. Sede no antigo distrito de Alumínio. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1993.

Em divisão territorial datada de I-VI-1995, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009.

Fonte: IBGE

Código do Município

3501152

Gentílico

aluminense

Prefeito

ANTONIO PIASSENTINI

População
População estimada [2018]18.484 pessoas  
População no último censo [2010]16.839 pessoas  
Densidade demográfica [2010]201,28 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]5,0 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]6.491 pessoas  
População ocupada [2016]35,7 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]35,5 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,8 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5.4  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3.9  
Matrículas no ensino fundamental [2017]2.711 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]677 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]142 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]34 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]8 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]2 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]99.392,72 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]76,5 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.766  
Total de receitas realizadas [2017]75.397,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]72.573,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]16,95 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]-  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]4 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]83,660 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]85,2 %  
Arborização de vias públicas [2010]71,2 %  
Urbanização de vias públicas [2010]47,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  6. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  7. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  23. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  24. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  25. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  26. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Alumínio: Imagens da cidade e Região

imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-1
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-2
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-3
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-4
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-5
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-6
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-7
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-8
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-9
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-10
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-11
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-12
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-13
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-14
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-15
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-16
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-17
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-18
imagem de Alum%C3%ADnio+S%C3%A3o+Paulo n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Alumínio e arredores.


Você conhece a cidade de Alumínio? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: