Início » Sergipe » Santana do São Francisco


Santana do São Francisco - Sergipe



Santana do São Francisco faz parte do estado de Sergipe.

Os primeiros ocupantes da região foram os Holandeses, que vieram no final do século XVII, disfarçados de Jesuítas, em busca de ouro e de pau-brasil, permanecendo na terra até serem expulsos pelos Portugueses.

Após a expulsão dos Holandeses, em meados de 1730, começaram a chegar os primeiros colonizadores da região.

História da cidade de Santana do São Francisco Sergipe - SE

Os primeiros ocupantes da região foram os Holandeses, que vieram no final do século XVII, disfarçados de Jesuítas, em busca de ouro e de pau-brasil, permanecendo na terra até serem expulsos pelos Portugueses.

Após a expulsão dos Holandeses, em meados de 1730, começaram a chegar os primeiros colonizadores da região.

Não existem registros históricos do processo de evolução local até o início do século XX, quando Pedro Gomes passou a terra ao seu filho, o Capitão Belarmino Gomes da Silva Dias, fundador da Fazenda Carrapicho.

Esta fazenda consistia de vastas terras, limitadas pelo Rio São Francisco, que recebeu esta denominação pela grande concentração de vegetação, cujos pequenos frutos com espinhos ou pêlos, aderem facilmente à vestimenta do homem, nos pés descalços e ao pêlos dos animais.

Posteriormente, as terras e lagoas passaram, em sucessão, aos herdeiros, que assumiram as atividades exploratórias da lavoura.

O surgimento dos primeiros artefatos manuais com barro, deu-se pela facilidade de trabalhar aquele tipo de solo, bem como pela necessidade, por parte da família dos empregados da fazenda, de utensílios domésticos. O primeiro artesão foi José Feliciano Passos, empregado da fazenda e que, contra a vontade de seus patrões, casou-se com uma das herdeiras, Joana da Silva Dias. Após conhecer seu primogênito, José Carvalho Passos e com a dissolução de seu casamento, Joana contraiu novo matrimônio com Antônio Mathias Barroso;união que resultou outros filhos.

Mais tarde, com o falecimento de Joana, José Carvalho Passos, apesar de ser primogênito, não participava da divisão dos bens, e assim, as terras ao poder da família Barroso, que as mantém, em grande parte, até hoje.

José Carvalho Passos deu continuidade ao trabalho de seu pai como artesão o que ainda é tradição da família. Seu filho, Messias da Silva Passos, iniciou junto com a comunidade a construção da igreja Matriz em 1907. O neto de José Carvalho Passos, conhecido como Senhor Zuza, nascido em 09-11-1922, é quem preserva, até hoje, os dados históricos de Santana do São Francisco.

A cerâmica propagou-se na região, transformando-se logo em fonte produtiva do ponto de vista econômico, gerando emprego e renda, tornando-se conhecida também como manifestação da cultura popular.

O advento da cerâmica em Carrapicho proporcionou o aumento de sua população, em decorrência de volumes de pessoas que ali buscavam a terra para morar e trabalhar, passando assim a definir o povoado.

As pessoas que ali buscavam moradia, pagavam uma taxa de 3 mil réis pelo aforamento da terra, e se ocupavam dos cultivos de subsistência, principalmente com arroz e das atividades com cerâmica.

Segundo declarações de pessoas entrevistadas no local, a aquisição de moradia de grande parte da população do povoado de Carrapicho ocorria do seguinte modo: A escritura da casa era feita no Cartório de Neópolis, sendo o terreno foreiro de propriedade da família Barroso. Esta situação permanece sem alterações significativas na atualidade.

Em 1962, lideranças locais como Edgar Silva e Celso Rezende movimentaram o povoado e encaminharam à Assembléia Legislativa reivindicar para a emancipação política de Carrapicho, sendo posteriormente aprovada através da Lei nº 1254, de 06 de abril de 1964, que criou o município. Entretanto, com o golpe militar de 1964 e a consequente suspensão dos direitos políticos, aliada à ausência de eleição no país, Carrapicho permaneceu na condição anterior do município.

O crescimento do povoado Carrapicho, segundo seus moradores, deu-se pela disponibilidade da terra, que provocou a chegada de um grande número de pessoas a procura de trabalho e melhores condições de sobrevivência, configurando assim a povoação da cidade.

Suas primeiras ruas tinham denominação típica das pequenas cidades: Rua do Penico; Rua Compra Fiado; Rua da Arapiraca, Rua do Quadro; Rua da Bananeira, Rua do Cajueiro, etc.

Na década de 70, as manifestações em Santana do São Francisco, ocorreram emconsequência dos acontecimentos, nas esferas Nacional e Estadual. é nesse período que a CODEVASF se instala com o objetivo de dar apoio à região do Baixo São Francisco, através da realização do Projeto de Colonização e Irrigação, no qual o município está inserido.

Na época, com a indenização das terras, levada a termo pela CODEVASF, o povoado Carrapicho recebeu um considerável contingente populacional em busca de trabalho na poscicultura e no cultivo do arroz.

Em 1977, o governo do Estado implantou a Cooperativa Artesanal de Carrapicho, visando incentivar e dinamizar a fabricação de artefatos de cerâmica. Entretanto esses objetivos não se concretizaram e a experiência cooperativista fracassou em decorrência do descrédito dos associados.

No início dos anos 80, a política nacional de incentivo ao PROALCOOL permite a implantação da destilaria Grande Vale, no Município de Neópolis. Segundo informações locais, os primeiros anos representam a fase do progresso da indústria ; posteriormente a empresa é desativada em decorrência da ingerência Administrativa. Atualmente a área e a usina por estar inserida no Platô de Neópolis, passará a ter outra utilização, uma vez que ali restou somente parte da sucata da antiga usina de beneficiamento da cana-de-açúcar.

Data de 12 de maio de 1989, o anteprojeto de constituição para conclusão no capítulo das Disposições Constitucionais, criando o Município de Santana do São Francisco, com sede no povoado Carrapicho, desmembrado do Município de Neópolis, através da Lei nº 1254, de 06 de abril de 1964, publicada no Diário Oficial de 14 de abril de 1964.

Gentílico: santanense

Formação Administrativa

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Santana do São Francisco, pela lei estadual nº 1254, de 06-04-1964, desmembrado de Neópolis. Sede no atual distrito de Santana do São Francisco ex-Povoado de Carrapicho. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1983.

Em divisão territorial datada de 2001, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte: IBGE

Código do Município

2806404

Gentílico

santanense

Prefeito

GILSON GUIMARAES BARROZO JUNIOR

População
População estimada [2018]7.714 pessoas  
População no último censo [2010]7.038 pessoas  
Densidade demográfica [2010]154,27 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,9 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]590 pessoas  
População ocupada [2016]7,7 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]52,4 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]99,6 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]3,9  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3  
Matrículas no ensino fundamental [2017]1.273 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]267 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]77 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]27 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]7 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]2 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]8.181,64 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]95,5 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,590  
Total de receitas realizadas [2017]18.810,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]16.648,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]18,18 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]4 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]45,105 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]55,3 %  
Arborização de vias públicas [2010]53,9 %  
Urbanização de vias públicas [2010]22,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Santana do São Francisco: Imagens da cidade e Região

imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-1
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-2
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-3
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-4
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-5
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-6
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-7
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-8
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-9
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-10
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-11
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-12
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-13
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-14
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-15
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-16
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-17
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-18
imagem de Santana+do+S%C3%A3o+Francisco+Sergipe n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Santana do São Francisco e arredores.


Você conhece a cidade de Santana do São Francisco? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: