Início » Sergipe » Indiaroba


Indiaroba - Sergipe



Indiaroba faz parte do estado de Sergipe.

Seu Povoado, Pontal, foi “palco” juntamente com Mangue Seco, povoado de Jandaíra, município ao norte da Bahia que faz divisão de boa parte do território com Indiaroba, do famoso romance Tieta do Agreste, do renomado escritor Jorge Amado. Em sua monografia Festa do Divino Espírito Santo, padroeiro de Indiaroba, a Profª. Maria Francisca dos Anjos, da UFS (2001:10), comenta que por muito tempo a tarefa de esclarecer a origem da cidade tem sido realizada com dificuldade por muitos pesquisadores e historiadores. Isto está conexo à insuficiência de fontes que sirvam de elementos necessários para pesquisas sobre o pequeno município, estorvando assim construir sua história. Ainda, Anjos (2001:11) cita o padre Fernando A. Soares (1986: 68), que já observava no livro A vivência do Divino na tradição de um povo, a carência de dados encontrados, principalmente em documentos concernentes às datas do processo que define a ascensão do município às categorias de freguesia, vila e cidade. Indiaroba fica entre os rios Sergipe ao norte e Real ao sul que hoje forma o município. Foi antigamente, por quase um século, um território alvo de disputas de comarca, entre os municípios de Abadia ao lado da Província da Bahia e Santa Luzia do Rio Real (hoje Santa Luzia do Itanhi) do lado de Sergipe. Essas primeiras disputas se prolongaram até pouco depois da criação de Abadia instalada pelo ouvidor de Sergipe em 1728. Outras questões foram debatidas até Indiaroba pertencer a Sergipe como mencionaremos adiante. Os franceses que desde 1575 excursionaram pelo rio Real, com a ajuda dos indígenas, não deixaram resquícios de sua passagem por aquelas terras, mas documentos confirmam que foram os primeiros povos etnicamente brancos a aportarem na região, onde, com auxílio dos nativos, contrabandeavam madeira e outras riquezas naturais. A conquista de Sergipe, por Cristóvão de Barros, em 1590, foi o marco também da divisão em relação às primeiras sesmarias da região, precisamente em 1596, quando se estabeleceram diversas colônias com suas fazendas de gado. Em 1750, segundo Góes (2002: 100), padres jesuítas que vinham de Santa Luzia através do rio Sagüim, fundaram um hospício e a capela de Nossa Senhora do Carmo, hoje povoado Convento. A povoação era denominada Feira da Ilha por causa de comerciantes que traziam produtos da Abadia (Bahia). Posteriormente, o nome foi alterado para Terra do Divino Espírito Santo. O historiador Luis Soutelo (2000: 44) comenta que em 1787 as lutas no território Bahia-Sergipe se intensificam em virtude das rivalidades entre capitães-mores José de Oliveira Campos de Abadia (hoje Cachoeira de Abadia-Ba) e Manoel Francisco da Cruz e Lima, de Santa Luzia do Rio Real-Se. Esses dados sobre o passado distante de Indiaroba podem ainda ser comprovados na leitura de determinados documentos, que tratam da história de Sergipe até o século XIX. Hoje, a produção do município é tanto da pecuária quanto da lavoura de cana-de-açúcar e o algodão. Atualmente é comum encontrar fazendas da região instalando tanques para o cultivo de camarão, fundamental na culinária local e utilizado para exportação comercial. Para o historiador Clodomir Silva (1920: 193), citado em Anjos (2001:12), entende-se que o limite geográfico passou por alteração de caráter religioso, político-administrativo e que nos favorece uma compreensão da cidade de Indiaroba nos dias atuais. Ainda sobre o assunto, Clodomir Silva, conceitua estas questões políticas e administrativas que estavam envolvidas na sua história. Cita: A lei de 31 de janeiro de 1845 declarou que ficava em lugar o artigo da lei de 6 de março de 1841 que elevou a capela do povoado do Espírito Santo à Freguesia, a qual fica pertencendo ao município de Santa Luzia. (Clodomir Silva, apud Anjos, 2001: 12).

Na mesma monografia (2001: 14), encontramos relatos sobre a atual vila do Espírito Santo, que teve sua capela erguida a freguesia pela Lei no 65 de 6 de março de 1841. Conforme documentação passa-se a concepção de categorias de Villa à Freguesia do Espírito Santo. Tal trabalho relata que: Art. 1o – Fica sem efeito o art. 2o da Lei no 162 de 20 de março de 1846, em pleno vigor a concepção da categoria Villa à Freguesia do Espírito Santo. Art. 2o – O governo da província providenciará para que na próxima época das eleições se proceda a eleição da respectiva Câmara Municipal, para ter lugar então a instalação da mesma Villa. Art. 3o – Ficarão revogadas as disposições em contrário. Paço da Assembleia Legislativa Provincial de Sergipe aos 24 de maio de 1848. (idem, 2001: 15)

História da cidade de Indiaroba Sergipe - SE

A região que fica entre os rios Saguim - ao norte, e Real - ao sul, é que hoje forma o Município de Indiaroba. Esta região foi outrora alvo de ferrenhas disputas de Jurisdição entre a Bahia e Sergipe. Os primeiros brancos a explorarem a região foram os franceses, contrabandeando madeira, com a ajuda dos indígenas, habitantes de algumas aldeias ali existentes.

Entre 1787 e 1800 os jesuítas chegaram em missão evangelizadora e estabeleceram no território uma capela e um hospício, onde formou-se um povoado com o nome de "Hospício", extinto muitos anos depois.

Pelo ano de 1841 surgia uma povoação à margem de Rio Real, próximo à sua fóz, com o nome de "Espírito Santos" e foi sede de município, posteriormente. A Assembléia Legislativa de Sergipe, por Lei de 6 de maio desse ano, elevou a Capela do Espírito Santo a condição de Freguesia.

A 20 de março de 1846 foi a Freguesia elevada à categoria de Vila, com a denominação de Vila do Espírito Santos de Rio Real.

Pelo Decreto nº 377, de 31 de dezembro de 1943, o município teve seu topônimo mudado para "INDIAROBA", que vem de um rio existente no município com o mesmo nome.

Gentílico: indiarobense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Espírito Santo, pela lei estadual provincial nº 65, de 06-03-1841.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Espírito Santo do Rio Real, pela lei provincial nº 162, de 20-03-1846, desmembrado de Santa Luzia. Sede na povoação de Espírito Santo do Rio Real. Constituído do distrito sede. Instalada em

Pela resolução provincial nº 852, de 09-04-1870, transfere a sede da povoação de Espírito Santo do Rio Real para a povoação de Campinhos.Pela Resolução Provincial nº 1115, de 24-04-1879, a sede volta a denominar-se simplesmente Espírito Santo.Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII1937. Pelo decreto-lei estadual n.º 377, de 31-12-1943, revogado pelo decreto-lei estadual nº 533, de 07-12-1944, o município Espírito Santo passou a denominar-se Indiaroba. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica municipal

Espírito Santo para Indiaroba alterado, pelo decreto-lei estadual nº 377, de 31-12-1943, revogado pelo decreto de nº 533, de 07-12-1944.

Transferência de sede municipal

Espírito Santo do Rio Real para Campinhos, pela resolução provincial nº 852, de 09-041870.Campinhos para Espírito Santo, alterado pela resolução provincial n] 1115, de 24-04-1879.

Fonte: IBGE

Código do Município

2802809

Gentílico

indiarobense

Prefeito

ADINALDO DO NASCIMENTO SANTOS

População
População estimada [2018]17.761 pessoas  
População no último censo [2010]15.831 pessoas  
Densidade demográfica [2010]50,49 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,3 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]920 pessoas  
População ocupada [2016]5,2 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]52,8 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,3 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]3.8  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]2.5  
Matrículas no ensino fundamental [2017]3.490 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]669 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]176 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]36 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]24 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]9.849,54 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]95,9 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.580  
Total de receitas realizadas [2017]41.556,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]39.711,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]6,85 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]15 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]314,710 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]2,5 %  
Arborização de vias públicas [2010]47,7 %  
Urbanização de vias públicas [2010]51,3 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Indiaroba: Imagens da cidade e Região

imagem de Indiaroba+Sergipe n-1
imagem de Indiaroba+Sergipe n-2
imagem de Indiaroba+Sergipe n-3
imagem de Indiaroba+Sergipe n-4
imagem de Indiaroba+Sergipe n-5
imagem de Indiaroba+Sergipe n-6
imagem de Indiaroba+Sergipe n-7
imagem de Indiaroba+Sergipe n-8
imagem de Indiaroba+Sergipe n-9
imagem de Indiaroba+Sergipe n-10
imagem de Indiaroba+Sergipe n-11
imagem de Indiaroba+Sergipe n-12
imagem de Indiaroba+Sergipe n-13
imagem de Indiaroba+Sergipe n-14
imagem de Indiaroba+Sergipe n-15
imagem de Indiaroba+Sergipe n-16
imagem de Indiaroba+Sergipe n-17
imagem de Indiaroba+Sergipe n-18
imagem de Indiaroba+Sergipe n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Indiaroba e arredores.


Você conhece a cidade de Indiaroba? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. zizi Salustiano de Melo's avatarzizi Salustiano de Melo

    Gostaria de conhecer a cidade e principalmente o povoado Pontal, devido ao plantio de mangaba.Desejo fazer o replantio desta fruta na área onde trabalho,e queria contato com as catadoras e com a pessoa responsável pelo projeto, vivenciado nesta localidade.

    #1 – 15/08/2017 - 15:03

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: