Início » Santa Catarina » Guatambu


Guatambu - Santa Catarina



Guatambu faz parte do estado de Santa Catarina.

Apesar da devastação das matas, o município possui fauna rica e árvores de espécies variadas, como a que deu nome à cidade.

A possibilidade de lucrar com a extração da madeira, especialmente a araucária, atraiu os primeiros colonizadores à região de Guatambu. Eram descendentes de italianos e de alemães, mais alguns caboclos, todos oriundos do Rio Grande do Sul e liderados por Rodolfi Fin, Ângelo Santinelli, João Batista Dal Piva, Emílio Zandavalli, João Batista Schneider, João Elisbão da Luz, Manoel Rolim de Moura e Izac Pan. A grande quantidade da madeira-de-lei chamada Guatambu deu nome ao local. A mão-de-obra familiar predominava, numa tradição que se mantém até hoje. Guatambu emancipou-se de Chapecó em 12 de dezembro de 1991, na mesma época do desmembramento de dois outros grandes distritos: Itaberaba e Cordilheira Alta.

História da cidade de BREVE Histórico DO MUNICíPIO DE GUATAMBU

A história do município de Guatambu remonta os idos de 1910. Segundo um registro do Cartório de Imóveis de Chapecó, instalou-se uma serraria no Porto Chalana (hoje povoado pertencente a Guatambu) datado de 1911... (SILVA, 1998, p.21) e vários depoimentos orais comprovam a existência da comunidade desde o final do século XIX e os primeiros anos do século XX.

Inicialmente a comunidade se desenvolveu basicamente da atividade madeireira, extrativista e agricultura de subsistência, em terras devolutas ocupadas por pequenas famílias de agricultores, que não possuíam a posse legal da terra. Estas eram as preferidas pelas Companhias Colonizadoras que atuaram em toda a região oeste nas décadas de 1930 e 40. No caso específico de Guatambu a Companhia Colonizadora Isaac Pan & Vargas foi a responsável pela divulgação e venda destas terras aos imigrantes italianos e alemães vindos especialmente do Rio grande do Sul.

A Fazenda Faxinal do Tigre, como era conhecida o nosso município, tinha abundância de madeira para exploração e fácil acesso para a fuga de foragidos da Revolução Federalista (1893), bastando atravessar o Rio Uruguai para estar a salvo desta e de outras guerras políticas. Por consequência de disputas políticas, no ano de 1921 recebe o nome de Lauro Muller, em homenagem ao governador catarinense

O mesmo rio foi o responsável pelo intenso trafego de balsas conduzidas por balseiros nos anos 40, 50 e 60. Profissão que ajudou a região crescer e se desenvolver com o escoamento de madeiras (inclusive o Pau Marfim ou Guatambu) para a Argentina. Foi devido a essa atividade econômica que, Lauro Muller passa a ser chamado de Guatambu em 1938, e é elevado à categoria de Vila, pertencente ao município de Chapecó.

As décadas seguintes foram marcadas pela diminuição da atividade madeireira por balsas. Com o avanço do capitalismo e o surgimento de novas tecnologias e aberturas/investimentos de estradas de rodagem, a madeira passa a ser transportada por terra. Assim, comunidade de Guatambu passa a desenvolver a agricultura em escala maior, acelerando o processo de extração da erva-mate, criação de suínos e aves.

Nos anos 90 intensificou-se o movimento Pró-emancipação e em 1991 (Decreto nº 8482 de 12/12/1991) após plebiscito, é criado o Município de Guatambu, desmembrado de Chapecó, com uma área de 205.58 km2. Atualmente é o 3º município que mais cresce na região da AMOSC, e recebe o título de capital catarinense na produção de matrizes de peru.

A possibilidade de lucrar com a extração da madeira, especialmente a araucária, atraiu os primeiros colonizadores à região de Guatambu. Eram descendentes de italianos e de alemães, mais alguns caboclos, todos oriundos do Rio Grande do Sul e liderados porRodolfi Fin, ongelo Santinelli, João Batista Dal Piva, Emílio Zandavalli, João Batista Schneider, João Elisbão da Luz, Manoel Rolim de Moura e Izac Pan. A grande quantidade da madeira-de-lei chamada guatambu deu nome ao local. A mão-de-obra familiar predominava, numa tradição que se mantém até hoje. Guatambu emancipou-se de Chapecó em 12 de dezembro de 1991, na mesma época do desmembramento de dois outros grandes distritos: Itaberaba e Cordilheira Alta.

Gentílico: guatumbuense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Lauro Muller, pela lei municipal nº 38, de 0701-1921, desmembrado de Caxambú, subordinado ao município de Chapecó. Pela lei estadual nº 1646, de 03-10-1929, o distrito de Lauro Muller passou a denominar-se Guatambú. Em divisão administrativa referente ao no de 1933, o distrito de Guatambú figura no município de Chapecó. No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito de Guatambú figura no município de Chapecó. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o distrito de Guatambú permanece no

município de Chapecó.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 18-VIII-1988.

Elevado à categoria de município com a denominação de Guatambú, pela lei estadual

nº 8482, de 12-12-1991, desmembrado de Chapecó. Sede no antigo distrito de Guatambú. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1993. Em divisão territorial datada de 1-VI-1995, o município é constituído do distrito sede. Pela lei municipal nº 285, de 25-06-1996, é criado o distrito de Fazenda Zandaválli ex-localidade e anexado ao município de Guatambú.Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1997, o município é constituído de 2 distritos: Guatambú e Fazenda Zandavalli.Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica distrital

Lauro Muller para Guatambú alterado, pela lei estadual nº 1646, de 03-10-1929.

CARACTERíSTICAS

Apesar da devastação das matas, o município possui fauna rica e árvores de espécies variadas, como a que deu nome à cidade.

Data de fundação - 12 de dezembro de 1991.

Data festiva - Setembro (Festa de São Miguel, padroeiro do município) e 12 de dezembro (aniversário da cidade).

Principais atividades econômicas - Agricultura.

População - 4.702 habitantes.

Colonização - Italiana, alemã e cabocla.

Principais etnias - Italiana, alemã e cabocla.

Localização - Oeste, na microrregião de Chapecó, a 594km de Florianópolis.

área - 206km2.

Clima - Mesotérmico úmido, com verão quente e temperatura média de 17,6°C.

Altitude - 530m acima do nível do mar.

Cidades próximas - Chapecó, águas de Chapecó, Caxambu do Sul, Planalto Alegre, São Carlos

TURISMO

Essencialmente agrícola, Guatambu vive do cultivo de milho e feijão e da criação de frangos e perus. Uma importante característica do município é a variedade de sua fauna preservada. Há veados, tatus, preás, quatis, ouriços, morcegos, micos e cutias. As aves mais comuns são o sabiá-branco e o sabiá-laranjeira, o pássaro-preto, o pardal, o pica-pau e o joão-de-barro. Os pequenos riachos da região são ricos em carpas, jundiás, lambaris, dourados, saicangas, piavas, cascudos, pintados e surubis. E nas matas locais, apesar da devastação, ainda é possível encontrar a canela, o cedro, a palmeira, o ipê, a cabriúva, o louro e o guatambu. Paralelamente à agricultura desenvolvem-se os alambiques, que produzem cachaça de boa qualidade, embora artesanal e para consumo local

Fonte: IBGE-Portal Santur/www.sc.gov/portalturismo/municipiossantur.asp- SILVA, ongela R; MOREIRA, Elisabete; CORá, Luzia Margaret. A presença cabocla na ocupação e colonização do município de Guatambu no período de 1910 a 1950. Trabalho de Conclusão de Curso em História UNOESC, 1998.

Código do Município

4206652

Gentílico

guatumbuense

Prefeito

LUIZ CLOVIS DAL PIVA

População
População estimada [2018]4.710 pessoas  
População no último censo [2010]4.679 pessoas  
Densidade demográfica [2010]22,73 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,2 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]2.339 pessoas  
População ocupada [2016]49,4 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]31 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,8 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,4  
Matrículas no ensino fundamental [2017]855 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]193 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]62 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]31 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]5 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]50.990,53 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]90 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,717  
Total de receitas realizadas [2017]26.505,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]22.205,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]10,99 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,2 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]2 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]205,875 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]14 %  
Arborização de vias públicas [2010]11,3 %  
Urbanização de vias públicas [2010]8,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Guatambu: Imagens da cidade e Região

imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-1
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-2
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-3
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-4
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-5
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-6
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-7
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-8
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-9
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-10
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-11
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-12
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-13
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-14
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-15
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-16
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-17
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-18
imagem de Guatambu+Santa+Catarina n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Guatambu e arredores.


Você conhece a cidade de Guatambu? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: