Início » Santa Catarina » Flor do Sertão


Flor do Sertão - Santa Catarina



Flor do Sertão é uma cidade do Estado de Santa Catarina. Encontra-se a uma latitude 26º46′39" sul e a uma longitude 53º20′51" oeste, estando a uma altitude de 302 metros. A população avaliada em 2004 era de 1.621 habitantes.

A denominação Flor do Sertão, conforme os moradores mais antigos, foi por causa de uma árvore de flores amarelas encontrada no meio da floresta no início da colonização, que julgaram ser o Ipê Amarelo, árvore que se tornou símbolo do Município.

História da cidade de A denominação Flor do Sertão, conforme os moradores mais antigos, foi por causa de uma árvore de flores amarelas encontrada no meio da floresta no início da colonização, que julgaram ser o Ipê Amarelo, árvore que se tornou símbolo do Município.

No ano de 1952, algumas famílias de colonos gaúchos como a família de Otávio Cenedeze que foi a primeira, a família de Waldemar Silveira Ramos e de Geraldo Bresolin, oriundos dos municípios de Guaporé, Casca e Serafina Corrêa, aqui chegaram atraídos pelas notícias de terras férteis, as quais proporcionavam grandes safras, a seguir vieram outras famílias do Sul, entre elas destacava-se os nomes Piaia, de Barba, Santin, Biazoli, Rossato...

Descendentes de italianos e portugueses, seguidos de alemães e mais tarde de poloneses, trouxeram consigo grande bagagem cultural, como a língua materna, os costumes, as tradições, os pratos típicos, as danças, a religião, além de muita força para o trabalho e vontade de vencer.

A região por eles ocupada, é uma área bastante ondulada, geograficamente parecida com o terreno europeu, situada às margens do rio das Antas, afluente do rio Uruguai, distante 25 Km da cidade de Maravilha e a mesma distância da cidade de São Miguel do Oeste.

No ano de 1953 construíram a 1ª capela que servia para os encontros religiosos semanais e que também serviu como a 1ª escola, sendo que no ano de 1963 a Secretaria de Estado da Educação construiu o 1º estabelecimento de ensino público.

Em 14/12/1961, através da resolução n.º 15 e do Projeto de Lei n.º 502/63, a comunidade foi elevada a categoria de vila, ou seja distrito de Maravilha.

Inicialmente a população vivia da extração da madeira que era derrubada para preparar o solo para as lavouras e, transportada por balsas pelo rio das Antas. Esta madeira era a fonte de renda dos pioneiros para investir no ideal principal, a policultura, baseada nas cultura de milho, feijão, soja, tabaco, entre outras para subsistência.

Formou-se assim uma estrutura fundiária composta de pequenas propriedades rurais que aproveitavam a rotatividade das culturas com o trato do solo, com adubação verde e orgânica, curvas de nível, terraços e reflorestamento.

Junto a policultura desenvolveu-se a pecuária com especial atenção para a criação de suínos e gado de leite para subsistência familiar. A agropecuária tão bem estruturada na década de 50 e 60 é, sem sombra de dúvidas a maior fonte de renda do Município de Flor do Sertão. Em 1981 foi feita a ligação da rede de energia elétrica que aos poucos foi se expandindo por todas as comunidades e hoje instalada na maioria das residências do Município.

Com o passar dos anos os melhoramentos reivindicados foram chegando ao distrito dando ânimo aos colonizadores que se dedicavam a agropecuária, principal fonte de renda até hoje.

Tendo os mais diversos segmentos da sociedade organizados e os serviços necessários para o desenvolvimento da comunidade; um grupo de idealistas deram início a uma campanha de emancipação político-administrativa, realizando a sua primeira reunião em 09 de julho de 1993 onde foi formada uma comissão composta de várias pessoas onde tinha como Presidente o Sr. Euclides Antônio de Barba. Sendo assim, a partir desta data a idéia foi se fortalecendo cada vez mais. E, no dia 08 de dezembro de 1993 o presidente da Assembléia Legislativa expediu credencial à comissão autorizando-a a lutar em prol da emancipação. Esta comissão a partir de então, pleiteou, organizou e fez acontecer um plebiscito para consultar a população no dia 19 de março de 1995, com manifestação favorável.

Organizada toda a documentação e enviada à Assembléia Legislativa, permaneceu por muito tempo na Comissão de Justiça, sendo aprovada em 05 de setembro de 1995. Foi enviada a plenário e votado favoravelmente em 19 de setembro de 1995.

No dia 29 de setembro de 1995; o Ex.mo. Sr. Paulo Afonso Evangelista Vieira - Governador do Estado, se fez presente em Flor do Sertão, onde na presença de grande número de pessoas assinou a Lei n.º 9.922, que cria o novo município de Flor do Sertão.

A partir desta data, iniciou-se a organização estrutural dos partidos políticos - partidários, que levaram os candidatos a concorrer vaga em 03 de outubro de 1996, preenchendo assim os cargos de prefeito municipal, vice - prefeito e vereadores da 1ª Administração pública de Flor do Sertão.

Em 1996 foi construída a rodovia SC-471, ligando Romelândia à BR-282, passando pelo centro de Flor do Sertão, antiga reivindicação dos dois municípios.

No dia 01 de janeiro de 1997, definitivamente foi instalado o Município de Flor do Sertão e também a 1ª Câmara de Vereadores.

Conforme os dados do último censo há no Município 1.608 habitantes, possui uma área de 58 Km2 e está localizado 505 m acima do nível do mar. O clima apresenta grande amplitude térmica, com temperatura variando até os 40º no verão e até abaixo de zero no inverno. Quando aumenta a umidade relativa do ar há ocorrências de neblinas cerradas que vem absorver as geadas.

Fonte: . Acesso em 20 ago. 2008.

Autor do Histórico: CLACIR VIRMES

Código do Município

4205357

Gentílico

flor-sertanense

Prefeito

SIDNEI JOSÉ WILLINGHOFER

População
População estimada [2018]1.586 pessoas  
População no último censo [2010]1.588 pessoas  
Densidade demográfica [2010]26,97 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,3 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]304 pessoas  
População ocupada [2016]19,0 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]33,7 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]99,1 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,7  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]-  
Matrículas no ensino fundamental [2017]270 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]61 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]25 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]19 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]2 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]25.415,13 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]92,8 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,708  
Total de receitas realizadas [2017]14.272,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]12.137,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]- óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,6 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]1 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]58,735 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]14,5 %  
Arborização de vias públicas [2010]81,7 %  
Urbanização de vias públicas [2010]31,2 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  11. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  16. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  17. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  18. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  19. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  21. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  22. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  23. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  24. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  25. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  26. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Flor do Sertão: Imagens da cidade e Região

imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-1
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-2
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-3
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-4
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-5
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-6
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-7
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-8
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-9
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-10
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-11
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-12
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-13
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-14
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-15
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-16
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-17
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-18
imagem de Flor+do+Sert%C3%A3o+Santa+Catarina n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Flor do Sertão e arredores.


Você conhece a cidade de Flor do Sertão? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: