Início » Rio Grande do Sul » Tabaí


Tabaí - Rio Grande do Sul



Tabaí faz parte do estado do Rio Grande do Sul.

Tabaí é de origem portuguesa. Apresenta atividade agrícola, com destaque na produção de cítricos, acácia negra, eucalipto, milho, feijão, mandioca e verduras. Na pecuária, destaca-se a criação de gado, suínos e ovinos. O município passou a chamar-se Tabaí a partir de 1940, até então era povoado de São Joaquim. Em 1969 chega a luz elétrica, e em 1972 houve a implantação da primeira escola com 1º grau completo. O município de Tabaí é desmembrado de Taquari.

Significado do Nome

História da cidade de Tabaí

A origem da dominação TABAí provém dos vocábulos indígenas, TABA reunião de casas e I reunião de águas, junção dos arroios que formam o Arroio Santa Cruz, que ficas às margens do limite entre Tabaí e Triunfo.

Por volta de séculos XIX, iniciou o povoado de São Joaquim, formado um mesclado de etnias, a açoriana em grande parte, vinda de Taquari, uma pequena parte de alemães, vindas, de São Leopoldo e mais uma pequena parte de italianos, vindos da religião da serra. Cabe-se ressaltar que Tabaí sempre contou com uma boa parcela de habitantes de cor negros e mulatos.

O primeiro morador foi Joaquim de Souza Machado, dando origem ao povoado São Joaquim.

Em 1888, foi colocada a pedra fundamental da Capela São Miguel, no cemitério do Faxinal dos Pachecos.

Em 1924 (27/12/1924), foi criado o 4º distrito, denominado Distrito de São Joaquim, sendo intendente Albertino Saraiva.

Em 1944 (24/12/1944), pelo Decreto Lei nº 720, São Joaquim passa a se chamar-se TABAí.

Em 1950, chegou em Tabaí a 1ª Motonivela de estrada, na administração do prefeito Prudêncio Franklin dos Reis. O sub-prefeito da época era o Sr. Ornélio Cardoso da Silva. No inicio da década de sessenta, Tabaí passa a viver um novo horizonte, quanto ao desenvolvimento, sua nova metodologia de desenvolver ao surgimento, sua nova metodologia, quanto ao desenvolvimento, sua nova metodologia de desenvolver ao surgir as rodovias Maurício Cardoso (RS 240,atual RST 287) e a Presidente Kennedy (BR 386) que cordou o Município, formando uma junção das duas rodovias onde escoa 60% da produção grãos do estado e também da produção de fuma da religião do vale do Rio Pardo.

Esta junção começou a dar uma nova perspectiva de trabalho para os moradores que ali residiam, pois dava-se início ao desenvolvimento.

Em 1987, Tabaí diz não a inclusão territorial de Paverama.

Em 1988, Tabaí elege seu primeiro vereador para a Câmara de Vereadores, Sr. Osmarino Francisco de Souza.

Em 1992, o distrito de tabaí elegeu dois representantes para a Câmara de vereadores: - Osvaldo Pereira Machado com 308 votos e Arsenio Pereira Cardoso com 230 votos.

ASPECTOS ECONOMICOS DE TABAí

No início da colonização, a base econômica foi agricultura, a qual continua sendo até hoje.

Em 1948, a safra sofre redução devido a invasão de gafanhotos.

Em 1950, início a plantação de acácia e eucalipto para suprir a lenha queimada na serraria a vapor.

Até os anos sessenta, o principal produto era a mandioca. Além da mandioca, produzia-se arroz, feijão, milho, criação de bovinos, suínos, avicultura e início da venda de leite.

Neste período haviam muitas atafonas (indústria domésticas de produção de farinha e polvilho de mandioca), onde trabalhavam a família e muitas vezes auxiliando por amigos e vizinhos, as quais forma sendo substituídas por novas fontes de renda, como a produção da soja, principal atividades econômica.

Nos anos oitenta a soja foi dando lugar à produção de laranjas e acácia negra a principal atividade econômica do Distrito.

COMéRCIO

No início da colonização, o comércio era fraco, haviam poucas casas comerciais e fazia-se muitas vezes a troca de produção coloniais como: a farinha de mandioca, polvilho, aves, queijos, manteiga, ovos, leite, arroz, poucos, banha, etc, por produtos como: açúcar, farinha de trigo, querosene, etc.

Na década de sessenta, iniciou-se a produção e comercialização da soja, cítricos, lenha, carvão, casca de cerâmica. Neste período também surgiram o Restaurante Palhoça, o qual tinha lugar reservado para viajantes que ali faziam pousadas, dois postos de gasolina, a extração de pedra. Com a construção das rodovias Maurício Cardoso (RST 287) e rodovia Presidente Kennerdy (BR 386), surgiram o desenvolvimento do comércio ao longo das rodovias. A extração de pedra grês também foi fonte de comércio.

INDúSTRIA

Inicialmente, as primeiras indústrias eram ligadas a agricultura como: as atafonas, descascador de arroz engenho de cana, moinhos de farinha de milho alambiques, poluidor de laranja, tecelagem de lã e algodão manual. Surgiram também outras indústrias de pequeno porte como: serraria, inicialmente movida a vapor, mais tarde substituída por motores elétricos, ferrarias, funilarias, fábricas de móveis (mais tarde passando para esquadrias), indústria de cerâmicas, açougue e marchanteria.

Em 1984, iniciou-se um grande movimento liderado por José Juarez Cardoso, pleiteando a 1ª indústria, que veio beneficiar 150 empregos diretos e com enormes perspectivas de desenvolvimento para a região. Foi sem dúvidas uma esplêndida vitória da comunidade que não mediu esforços fazendo abaixo- assinado e reunião de confraternização para conseguirem, já que tinham o prédio da Cooperativa à disposição e trazerem a Musa Calçados, atual COTRIL (Cooperativa do Trabalho Industrial de Tabaí Ltda), hoje não mais cooperativa.

Saúde

O atendimento à saúde era através de curandeiros que tratavam seus doentes com homeopatias e remédios caseiros. Destaca-se Antônio Batalha, Tio Eduardo (como era chamado pelas pessoas).

Os partos eram feitos em casa, ajudados por parteiras, sem recursos. Algumas parteiras de época foram: Crispina Gomes da Silva, Ana Alves Blank, etc.

Como não havia quase automóveis para transporte os doentes a médicos ou hospitais, estes eram levados a cavalo ou a carroça.

Por volta dos anos quarenta, surgiram os primeiros automóveis que prestavam socorro aos doentes, levando-os ao médico, ou trazendo este até a casa do enfermo.

Em 1970, surgiu o movimento para a construção de um hospital, denominado Santo Antônio, a qual chegou a ser colocada a pedra fundamental, porém a obra foi interrompida.

Em 1973, o distrito de Tabaí, recebeu seu primeiro ambulatório médico, funcionando em uma das salas da Escola Estadual Cônego Cordeiro e o médico que atendia era o Dr. João Carlos Dilli.

Em 1976, foi inaugurado o Posto de Saúde da Vila Tabaí, o qual contou com a presença do Governador da época, o Sr. Jair Soares.

Também neste período, o Sindicato dos trabalhadores Rurais de Taquari instala, nesta delegacia, um ambulatório dentário.

Em 1980, foi criado o Posto de Saúde na localidade do Morro do Pedro Rosa.

ASPECTOS SOCIAIS E CULTURAIS

No ano de 1927, foi instalado em Tabaí o Cartório Distrital, sendo o primeiro Escrivão o Sr. Leonel Duarte Pacheco, sucedendo Manoel Querino Pereira, Adolfo Pedreira dos Reis e Valério Pereira dos Reis.

O transporte coletivo surgiu em 1938, com a Linha Morro azul, Tabaí e Taquari, do proprietário Bruno Altaman. Na Linha era feita duas vezes por semana quanto o tempo era bom. Na década de setenta, a empresa Fátima passou a fazer a linha Paverama, Morro Azul, Tabaí e Taquari, diariamente duas vezes o dia.

Em 1960, chega a energia elétrica CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica).

Em 1964, surgiu a Sociedade Recreativa de Tabaí, sob a liderança de Serafim Pereira de Souza.

Em 1969, com a fundação da CERTAJA (cooperativa de Energia e Desenvolvimento Rural Taquari-Jacuí Ltda) e com isso houve impulso ao desenvolvimento, dando condições ao homem do campo.

Inicialmente, as festas eram feitas em casa, como: casamentos, aniversários e bailes.

Em 1976, foi construído um poço artesiano para a escola estadual Cônego Cordeiro e para o Posto de saúde da Vila Tabaí, beneficiando também a comunidade.

Na vila tabaí, a comunidade constrói um pavilhão de festas. Foram também construídos alguns salões de bailes como: Salão Lampert, Salão Vargas e Salão Aterrados.

Em 1979, foi reformada a praça da Vila Tabaí, que passou a chamar-se Praça dos Queridos.

No final da década de setenta com a produção de casca, lenha, carvão e outras culturas, grande número de proprietários adquiriram caminhões para o transporte de carga, tornando esta atividade em forte de renda pelo facial acesso rodoviário.

Em 1980, foi inaugurada a nova sede da Sub-Prefeitura da Vila Tabaí.

Em 1983, Tabaí foi beneficiada com a telefonia rural.

Contamos também com um posto de correios e telégrafos, dói centros telefônicos com 42 ramais em propriedades diferentes e 10 telefones rurais e, convênio com a CERTAJA, um Posto de Polícia Rodoviária Federal e duas empresas de ônibus que circulam em nosso Município.

Toda esta infra-estrutura básica, feito pela Universidade do Alto Taquari de Ensino Superior, demonstra claramente as perspectivas otimistas de desenvolvimento desta nova comunidade, inclusive salientando de que em sua área, supera-se a média de alguns municípios já existentes nesta religião. Da mesma forma, temos 24 estabelecimentos comercias e industriais e uma listagem de 100 prestadores de serviços.

Em 1991, foi construído o Pavilhão Comunitário, no Faxinal dos Pachecos.

Em 1992, a Vila tabaí recebe um trecho asfáltico, também neste ano foi construído o Pavilhão Comunitário, no Morro do Pedro Rosa e do Pavilhão Esporte Clube Real.

Haviam outras associações esportivas distribuídas pelo interior, e como lazer o distrito de Tabaí oferece aos fins de semana o futebol. Temos vários clubes como: Clube do Lar cavernas, Clube do Lar União da Vila Tabaí e o Clube 4 S.

O distrito de Tabaí dispõe também de um CTG, denominado Sentinela de Tabaí, o qual foi fundamentado em 1989, sendo patrão Pedro Caetano de Azevedo. Ainda contamos com quedas d água para explorar o turismo, o Morro da Torre que está localizado na sede, também existem outros como: Morro do Meio, Cerro dos Lopes, Morro do Pedro Rosa, Morro Aracuã entre outros.

RELIGIãO

A Religião Católica é predominante na região, mas temos um bom percentual que frequentam a Igreja Quadrangular e a Assembléia de Deus.

Inicialmente, a população reunia-se em casa particulares a celebração de Missas e Terços.

Em 1926, foi criada a primeira Capela São João Batista, na Vila Tabaí, a qual deu origem (hoje) ao Padroeiro do Município.

Em 1965, surgiu a Capela São Sebastião, no Morro do Pedro Rosa.

Em 1979, a comunidade do trevo Tabaí constrói a Capela São Cristóvão.

Em 1983, surgiu a construção da capela Nossa Senhora de Fátima no Faxinal dos Pachecos e na localidade do Morro do Pedro Rosa, Igreja Evangélica Assembléia de Deus, a qual é frequência por um numero expressivo de fieis.

EDUCAçãO

Em Tabaí, 4º distrito de Taquari, estudar era muito difícil devido a distancia, tendo como consequência as evasões escolares. Muitos professores lecionavam em casas particulares e outras moravam nas Escolas, devido ao difícil acesso. O ensino era somente de 1ª a 4ª série.

Em 1944, foi criada a Escola Cônego Cordeiro, na Vila Tabaí.

Em 1949, surge a Escola Pedro Rosa, no Morro do Pedro Rosa.

Em 1950, iniciaram as atividades na Escola Municipal Margarida Ribeiro, no Faxinal dos do Cemitério.

Em 1956, surge a Escola Municipal Dr. Franklin Praia Filho, no Lajeadinho.

Em 1958, surge a Escola Anita Garibaldi, no Rincão Pedro Marques. Neste mesmo ano foram criadas as Escolas: Escola Municipal Ana Voges em Aterrados e a Escola Municipal José de Alencar, no Faxinal do Pachecos.

Em 1959, inicia suas atividades a escola Municipal Carlos Gomes, na Linha Leonel Nascimento.

Em 1961, foi criada a escola Municipal Capitão José Rodrigues de Castro, no Morro do Pedro Rosa.

Em 1962, forma criadas as Escolas: Escola Municipal David Canabarro, em Cavernas e a Escola Municipal Albertinho Saraiva, na localidade de Pedra grande.

Em 1963, surge a escola Municipal Azambuja Guimarães, no Passo dos Corvos.

Em 1968, inicia a escola Municipal José Bonifácio, no Casfundó do Ismael.

Em 1972, com a mudança da Lei nº 5692/71 da educação, implantou-se o 1º Grau completo nas escolas Cônego Cordeiro e Pedro Rosa, o qual oportunizou aos estudantes da zona rural uma melhor qualificação e um maior número de estudantes a continuar seus estudos (2º Grau) em cidades vizinhas.

Em 1975, foi criada a Escola Municipal Léo Alvim Faller, na localidade de Cerro dos Lopes.

Em 1991, inicia suas atividades a Escola Municipal Rangel Brandão, no Trevo Tabaí e em 1997, com a emancipação do Município, por ser mais centralizada foi desativada, provisoriamente, para funcionar a Prefeitura Municipal de Tabaí.

DADOS GERAIS

Em 1993, inicia o movimento emancipacionista em Tabaí.

Em 1994, a idéia se difunde na comunidade.

Em 1995, realizou-se o plebiscito no dia 22 de outubro de 1995, com um total de 1893 eleitores, dando o seguinte resultado: 844 SIM e 659 NãO, 13 BRANCOS E 19 NULOS.

O Município de Tabaí foi desmembrado do Município de Taquari, sendo formado pelo distrito pelo de Tabaí mais as localidades de Morro do Pedro Rosa, parte do Carapuça e aterrados, com a sede centralizada entre a RST 287 e BR 386, e BR 386, no travo Tabaí.

Possui um área de 94,85 Km, uma população aproximada de 3.070 habitantes, 2.220 eleitores, com uma altitude média de 120 metros.

Em 1995, no dia 28 de dezembro, o Governador do Rio Grande do Sul, sancionou a emancipação política de Tabaí de acordo com a Lei nº 10.660 publicada do Diário Oficial do Estado em 29 de dezembro de 1995.

O Município de Tabaí fica distante da capital do Estado (Porto Alegre) 80 km, 30 km do Pólo Petroquímico, 40 Km de Lajeado, 70 km da região calçadista Vale dos Sinos e 25 km do município mãe, Taquari.

Em 1996, foi feita a 1ª eleição para Prefeito Municipal e Vereadores, sendo que foi eleito pelo povo o 1º Prefeito, o Sr. Osvaldo Pereira Machado e Vice-prefeito, o Sr. Arsenio Pereira Cardoso, na gestão de 1997 a 2000. A Câmara de Vereadores foi constituída de 9 membros que são: Décio Rodrigues, Vilso Oliveira de Paula, Jaci Rosa da Silva, Rozelena de Costa Vargas, Nei Lopes dos Reis, João Paula de Oliveira, João Oduarto Claus, joão Carlos de Souza Lopes e Auri Rosa da Silva.

As secretárias são ocupadas pelos Secretários:

- Secretária Municipal de Educação, Cultura, Turismo e Desporto.

Sra. Nelci Fazenda Pereira

- Secretaria Municipal da Saúde, Agricultura, Indústria e Comércio.

Sr. Arsenio Pereira Cardoso

-Secretaria Municipal de Obras e saneamento Basco.

Sr. Paulo Jesus Moraes Barcelos

- Secretaria Municipal da Fazenda e Administração

Sr. Roberto Teixeira Alves

- Secretaria Municipal do Planejamento

Sr. Arnaldo de Freitas silveira

Fonte: Prefeitura Municipal de Tabaí

Código do Município

4320859

Gentílico

tabaiense

Prefeito

ARSÊNIO PEREIRA CARDOSO

População
População estimada [2018]4.667 pessoas  
População no último censo [2010]4.131 pessoas  
Densidade demográfica [2010]43,60 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,7 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]776 pessoas  
População ocupada [2016]17,3 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]25,2 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]100 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,7  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]-  
Matrículas no ensino fundamental [2017]588 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]116 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]51 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]35 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]7 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]3 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]16.936,44 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]93 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,701  
Total de receitas realizadas [2017]17.034,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]15.246,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]- óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]-  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]4 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]94,754 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]46,1 %  
Arborização de vias públicas [2010]100 %  
Urbanização de vias públicas [2010]0,2 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  6. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  7. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  11. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  16. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  17. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  18. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  19. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  21. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  22. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  23. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  24. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  25. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Tabaí: Imagens da cidade e Região

imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-1
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-2
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-3
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-4
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-5
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-6
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-7
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-8
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-9
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-10
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-11
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-12
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-13
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-14
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-15
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-16
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-17
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-18
imagem de Taba%C3%AD+Rio+Grande+do+Sul n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Tabaí e arredores.


Você conhece a cidade de Tabaí? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: