Início » Rio Grande do Sul » Soledade


Soledade - Rio Grande do Sul



Soledade faz parte do estado do Rio Grande do Sul.

Segundo a lenda, "nos idos de 1820, aqui aportaram caravanas dos chamados ′Mineiros′, em busca de novas terras, novas minas e novos horizontes. Avançam sempre, impelidos pela aventura, pela coragem e pela fé. Traziam consigo uma imagem de Nossa Senhora do Rosário e outra de Nossa Senhora das Dores. Ao partirem de seu local de origem, haviam feito a promessa: ergueriam uma capela a Nossa Senhora no lugar de onde não mais pudessem prosseguir viagem. Chegados a essas colinas, onde tudo era beleza, clima seco e ameno, água em abundância, pastagens fartas e verdejantes, pinheirais e matas, aqui armaram acampamento, deixando-se ficar por vários dias. Reiniciando a caminhada, colocaram as duas imagens de Nossa Senhora sobre uma das carroças, puxadas a bois de tração. Percorridos poucos metros, eis que uma das rodas da carroça que conduzia as imagens sagradas teria se partido ao meio. Desatrelaram os bois e puseram-se a consertar a roda. Completada a tarefa, constataram que os bois haviam sumido. Depois de muitas buscas, foram encontrados e novamente atrelados ao veículo rústico. Ao tentarem nova partida, outra vez partiu-se a roda. Tomaram isto como um sinal da vontade de Nossa Senhora, para que no local se erigisse a Capela prometida no início de viagem. Isto fizeram. Diante daquela imagem, faziam suas preces de louvor e agradecimento. Como o local era por demais tranqüilo e ermo, recebeu deles o nome de Nossa Senhora da Solidão, substituído, mais tarde, pelo de Nossa Senhora da Soledade."

Os primeiros homens brancos a entrarem em contato com os indígenas da serra foram os missionários. Os discípulos de Santo Inácio de Loyola começaram o trabalho de catequese e aldeamento dos índios por volta de 1626. Nas cabeceiras do Rio Pardo, hoje Barros Cassal, os Jesuítas ergueram a Redução de São Joaquim que chegou a congregar mais de mil famílias catequizadas que dez anos após foram vítimas da ação devastadora dos Bandeirantes que chegavam com a poderosa bandeira de Antônio Raposo Tavares.

História da cidade de Soledade

Durante um longo período, que precedeu meados do Séc. XVII (tendo como marco o ano de 1633, da fundação da Redução de São Joaquim...), este mesmo território da Grande Soledade esteve habitado exclusivamente pelos indígenas e, incluído na Província Espanhola, ou nos futuros campos de expansão dos padres espanhóis das Missões Jesuíticas. Tudo isso em obediência ao disposto no Tratado de Tordesilhas (1492).

Retornando o ano de 1633, concluem os historiadores que ele é o marco que registra a primeira penetração do homem branco, através dos padres missionários espanhóis, da Companhia de Jesus e suas comitivas, que iniciam a catequese dos índios deste território.

O que foi iniciado pelo Padre Roque Gonzáles de Santa Cruz na Bacia do Uruguai, foi a primeira tentativa de fixação definitiva ao leste do referido rio, através das dezoito Reduções Jesuíticas, aqui instaladas, em série, culminando com a de São Joaquim, aqui nas terras da Grande Soledade.

Essa Redução de São Joaquim teve duração efêmera, em virtude da investida exterminadora dos Bandeirantes (paulistas) os quais chegaram com a finalidade de capturar os nativos, conduzindo-os como escravos para mão-de-obra barata em São Paulo e, destruir o que encontrassem pela frente.

Sacerdotes e milhares de indígenas que conseguiram fugir, num repente abandonando tudo, foram para a margem oriental do Uruguai, na atual Província Argentina de Missiones, onde buscaram refúgio.

De tudo restou um rastro de, ao menos, lembranças e alguns indígenas aculturados, que continuam a se dedicar à colheita e comercialização da caá (erva-mate), aumentando a abertura de picadas e caminhos no interior das matas e coxilhas deste planalto.

Empreendimento que presumivelmente acarretou relevantes resultados para a efetiva ocupação da região de Soledade foi a abertura (reabertura) da "Picada do Butucaray", no ano de 1810, ligando aquela região meridional (Rio Pardo e centro-sul) ao Campo do Meio, no planalto setentrional (P. Fundo, no norte) e estrada de Vacaria. Ficou, tempos depois, conhecida como a Estrada das Tropas.

Mas a efetiva e marcante ocupação branca se concretiza através das concessões das primeiras Sesmarias (1816) nesta região.

Os primeiro sesmeiros que teriam obtido essas concessões, foram os Ferreira de Andrade. Eram eles o Tenente André, juntamente com o Furriel Vicente, pai e filho, figuras influentes (Rio Pardo e Capital...) da elite política da época, no governo da Província, que obtiveram as Cartas de Concessões no ano seguinte, 1816. Seguiram-se: Ana Angélica Ricarda, Antônio Francisco de Moraes, Miguel Joaquim Borges e outros tantos contemplados.

O ano de 1832 - às vésperas da Revolução Farroupilha (1835 a 1945) - marca a fixação dos primeiros moradores ao redor de um aglomerado que depois vai se tornar a Villa de Soledade - estando esta região como pertencendo ao Município de Rio Pardo.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Soledade, pela Lei Provincial n.º 335, de 14-01-1857 e por Ato Municipal n.º 2, de 19-09-1892, subordinado ao município de Passo Fundo.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Soledade, pela Lei Provincial n.º 962, de 29-03-1875, desmembrado do município de Passo Fundo. Constituído do distrito sede. Instalado em 09-09-1875.

Por Ato Municipal n.º 2, de 19-09-1892, foram criados os distritos de Campo Bonito, Depósito, Jacuizinho, Espumoso e Vitória e anexado município de Soledade.

Por Ato Municipal n.º 78, de 02-01-1903, foram criados os distritos de Lagoão, Colônia das Tunas e anexado ao município de Soledade.

Por Ato Municipal n.º 12, de 12-03-1910, foram criados os distritos de Restinga e Colônia Camargo e anexado ao município de Soledade.

Por Ato Municipal n.º 13, de 10-05-1910, foram criados os distrito de Rincão de Santo Antônio e Coronel Dumoncel Filho e anexado ao município de Soledade.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, é constituído de 13 distritos: Soledade, Campo Bonito, Colônia Camargo, Colônia das Tunas, Coronel Dumoncel Filho, Depósito, Espumoso, Sobradinho, Jacuizinho, Lagoão, Restinga e Rincão de Santo Antônio e Vitória.

Por Ato Municipal n.º 101, de 06-07-1922, é criado o distrito de Getúlio Vargas e anexado ao município de Soledade.

Pelo Decreto Estadual n.º 3.924, de 03-12-1927, desmembra do município de Soledade o distrito de Sobradinho. Elevado à categoria de município.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 13 distritos: Soledade, Borges Medeiros (ex-Espumoso), Colônia das Tunas, Colônia Camargo (ex-Coronel Ferreira), Coronel Dumoncel Filho, Depósito, Jacuizinho, Getúlio e Vitória. Não figurando os distritos de Campo Bonito, Lagoão, Restinga e Rincão de Santo Antonio.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município é constituído dos 9 distritos da divisão de 1933.

Pelo Decreto Estadual n.º 7.199, de 31-03-1938, o município é constituído de 7 distritos sub-dividido em 3 zonas: Soledade, Mormaço (ex-Ibirapuitã) e Depósito; Barros Cassal (ex-Coronel Dumoncel Filho), Camargo (ex-Coronel Ferreira), e Espumoso (ex-Borges de Medeiros), Fontoura Xavier (ex-Getúlio Vargas), Jacuizinho, sub-dividido em 2 zonas: Jacuizinho e Tunas (ex-Colônia das Tunas) e Maurício Cardoso (ex-Vitória).

Pelo Decreto Estadual n.º 7.643, de 28-12-1938, Tunas passou a fazer parte da zonas do distrito de Jacuizinho.

No quadro para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído por sub-distritos: Soledade, Mormaço e Depósito, Barros Cassal, Camargo, Espumoso, Fontoura Xavier, Jacuizinho e Maurício Cardoso.

Pela Lei Municipal n.º 21, de 08-03-1948, é criado o distrito de Ibirapuitan e anexado ao município de Soledade. Sob a mesma Lei desmembra do município de Soledade o distrito de Depósito. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Municipal n.º 17, de 17-02-1948, foram criados os distritos de Lagoão (ex-povoado) e Tunas e anexado ao município de Soledade.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 11 distritos: Soledade, Barros Cassal, Camargo, Fontoura Xavier, Ibirapuitã, Lagoão, Maurício Cardoso, Tunas, Depósito, Espumoso e Jacuizinho.

Pela Lei Municipal n.º 110, de 20-03-1952, o distrito de Depósito passou a denominar-se Alto Alegre, mudança de sede.

Pela Lei Municipal n.º 214, de 13-08-1953, é criado o distrito de Mormaço e anexado ao município de Soledade.

Pela Lei Municipal n.º 162, de 05-11-1953, é criado o distrito de São José do Erval e anexado ao município de Soledade.

Pela Lei Estadual n.º 2.554, de 18-12-1954, desmembra do município de Soledade os distritos de Espumoso, Alto Alegre (ex-Espumoso) e Jacuizinho, para constituir o novo município de Espumoso.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 10 distritos: Soledade, Barros Cassal, Camargo, Fontoura Xavier, Ibirapuitã, Lagoão, Maurício Cardoso, Mormaço, São José do Erval e Tunas.

Pela Lei Estadual n.º 3.723, de 17-02-1959, transfere o distrito de Camargo do município de Soledade para o município de Marau.

Pela Lei Estadual n.º 3.717, de 16-02-1959, o distrito de Maurício Cardoso deixa de pertencer ao município de Soledade para ser anexado ao município de Arvorezinha.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 11 distritos: Soledade, Barros Cassal, Camargo, Fontoura Xavier, Ibirapuitã, Lagoão, Maurício Cardoso, Tunas, Depósito, Espumoso, Jacuizinho.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 8 distritos: Soledade, Barros Cassal, Fontoura Xavier, Ibirapuitã, Lagoão, Mormaço, São José do Erval e Tunas.

Pela Lei Estadual n.º 4.598, de 05-11-1963, desmembra do município de Soledade o distrito de Barros Cassal. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 7 distritos: Soledade, Fontoura Xavier, Ibirapuitã, Lagoão, Mormaço, São José do Erval e Tunas.

Pela Lei Estadual n.º 4.974, de 09-07-1965, desmembra do município de Soledade os distritos de Fontoura Xavier e São José do Erval, para constituir o novo município de Fontoura Xavier.

Pela Lei Municipal n.º 1.404, de 07-06-1977, é criado o distrito de Bela Vista e anexado ao município de Soledade.

Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 6 distritos: Soledade, Bela Vista, Ibirapuitã, Lagoão, Mormaço e Tunas.

Pela Lei Municipal n.º 1.631, de 30-09-1982, é criado o distrito de Pinhal e anexado ao município de Soledade.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1983, o município é constituído de 7 distritos: Soledade, Bela Vista, Ibirapuitã, Lagoão, Mormaço, Pinhal e Tunas.

Pela Lei Municipal n.º 2.057, 26-08-1997, foram criados os distritos de Bugre e Santa Terezinha e anexados ao município de Soledade.

Pela Lei Estadual n.º 8.447, de 08-12-1987, alterada pela Lei Estadual n.º 8.990, de 11-01-1990, desmembra do município de Soledade o distrito de Tunas. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Estadual n.º 8.486, de 15-12-1987, alterado pela Lei Estadual n.º 8.988, de 11-01-1990, desmembra do município de Soledade o distrito de Ibirapuitã. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Estadual n.º 8.569, de 20-04-1988, alterada pela Lei Estadual n.º 8.973, de 08-01-1990, desmembra do município de Soledade o distrito de Lagoão. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Estadual n.º 9.616, de 20-03-1992, desmembra do município de Soledade o distrito de Mormaço. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 1993, o município é constituído de 2 distritos: Soledade e Pinhal.

Pela Lei Municipal n.º 2.057, 26-08-1997, foram criados os distritos de Bugre e Santa Terezinha e anexados ao município de Soledade.

Em divisão territorial datada de 2001, o município é constituído de 4 distritos: Soledade, Bugre, Pinhal e Santa Terezinha.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009.

Fonte: Prefeitura Municipal

Código do Município

4320800

Gentílico

soledadense

Prefeito

PAULO RICARDO CATTANEO

População
População estimada [2018]30.967 pessoas  
População no último censo [2010]30.044 pessoas  
Densidade demográfica [2010]24,76 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,0 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]6.159 pessoas  
População ocupada [2016]19,7 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]32,2 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]96,3 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,6  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,3  
Matrículas no ensino fundamental [2017]3.800 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]1.056 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]311 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]117 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]26 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]6 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]23.916,29 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]72,7 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,731  
Total de receitas realizadas [2017]91.170,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]78.970,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]7,75 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]1,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]17 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]1.213,410 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]70,4 %  
Arborização de vias públicas [2010]44,5 %  
Urbanização de vias públicas [2010]32 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Soledade: Imagens da cidade e Região

imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-1
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-2
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-3
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-4
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-5
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-6
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-7
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-8
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-9
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-10
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-11
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-12
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-13
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-14
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-15
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-16
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-17
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-18
imagem de Soledade+Rio+Grande+do+Sul n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Soledade e arredores.


Você conhece a cidade de Soledade? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: