Início » Rio Grande do Sul » Cerro Largo


Cerro Largo - Rio Grande do Sul



Cerro Largo faz parte do estado do Rio Grande do Sul. Encontra-se a uma latitude 28º08′49" sul e a uma longitude 54º44′17" oeste, estando a uma altitude de 211 metros. Sua população em 2010 era de 13 289 habitantes.

Possui uma área de 174,64km².

No início do século, a Companhia de Colonização Bauerverein, que tinha por objetivo abrir novas fronteiras agrícolas no estado para o assentamento de colonos descendentes de imigrantes alemães, decidiu vender lotes de terras na região noroeste do Rio Grande do Sul.

História da cidade de Cerro Largo - RS

A área foi adquirida da Companhia Nord West Bahn, alemã, que construía estradas e ferrovias para o Império, que pagou em terras, as obras, por não dispor de recursos. Desta forma, a área da colônia Serro Azul, Boa Vista e parte de Panambi foram destinadas para o referido pagamento. A companhia de colonização Bauerverein adquiriu as duas primeiras para o assentamento dos imgrantes.

Assim, sob o comando do padre Jesuíta Maximiliano Von Lasberg aqui chegaram as primeiras famílias de colonos, oriundos da região de Montenegro. Os primeiros colonizadores foram: Mathias Munchen, Felipe Guth, João Tem Caten, Karl Dahmer, Mathias Bard, Paulo Schmidt, Johan Hoffmann, Peter Martini, Jacob Muller, Peter Ludwig e Michel Schneider. Logo em seguida veio também a família de Arnoldo Hochegger.

A colonização oficial ocorreu no dia 04 de outubro de 1902. Estava fundada, em terras férteis e cobertas de mata virgem, entre os rios Ijuí e Comandaí, a Colônia Serro Azul, hoje município de Cerro Largo.

No início da colonização foi construído um barracão, para abrigar as famílias imigrantes, até que pudessem levar a sua mudança ao lote adquirido.

O espírito empreendedor, a obstinação e a dedicação ao trabalho, somados à fertilidade da terra, provocaram um rápido progresso dos colonos. Tanto assim que, já no ano de 1915, Serro Azul foi elevado à categoria de Vila, sede do 4º distrito do então município de São Luiz Gonzaga. Em 1942, por exigência do IBGE, a denominação de Serro Azul foi alterada para a atual Cerro Largo.

Também na década de 40 houve a primeira movimentação pela emancipação. Mas, apesar da aprovação plebiscitária, a iniciativa foi abortada por forças políticas dos escalões superiores do governo central. Os esforços em prol da independência politicoadministrativa foram retomados no início dos anos 50, através da Comissão de Emancipação, formada pelos senhores Arlindo Schneider, Artur Berwanger, Guido Steffens, Gomercindo Sperb, Jacob Reinaldo Haupenthal, Otto Flach, João Edmundo Munchen e Nei Antunes Maciel.

E finalmente, em 15 de dezembro de 1954 foi assinado pelo Governador do Estado, o Decreto nº 2519, criando o município de Cerro Largo, cuja instalação oficial aconteceu em 28 de fevereiro de 1955, com a posse do primeiro prefeito, Jacob Reinaldo Haupenthal.

Na década de 60 desmembraram-se do então município de Cerro Largos os atuais municípios de Roque Gonzales, São Paulo das Missões e Porto Xavier. Posteriormente emanciparam-se São Pedro do Butiá e Salvador das Missões.

Gentílico: cerro-larguense

Religião e Educação

Em 1907 os padres Palotinos assumiram a direção religiosa e educacional da nova colônia. Construiram a Igreja Matriz dando início em 09/11/1913 e inaugurando-a em 1921.

Em 1920 vieram as Irmãs Filhas do Amor Divino para ajudar na catequese e educação feminina, além da pastoral da saúde. Estas permanecem até hoje, com atividades múltiplas, não só aqui como em diversas regiões do país.

A partir de 1922 os Padres Jesuítas retornaram à administração e coordenaram a pastoral e educação paroquial até 1956.

Cerro Largo sempre foi destaque na educação, tendo o primeiro seminário da diocese de Uruguaiana, inaugurado em 1937, quando o Rio Grande do Sul tinha apenas 5 dioceses.

Em 1935 vieram os irmãos Lassalistas com um internato, e em 1942 criaram a primeira Escola Normal rural La Salle no estado, cujo curso foi extinto com a reforma nacional do ensino em 1971.

Na década de setenta surgiram diversos colégios de 2ª grau no município. Em 1992 instalou-se o primeiro curso superior em Cerro Largo. No ano de 2007 foi criada a extensão de 3 cursos da Universidade Aberta do Brasil, e em 2008 foi criado o Campus da Universidade Federal Fronteira Sul, com previsão de início no segundo semestre de 2009.

Cultura

O Centro Cultural 25 de Julho, Museu de Cerro Largo, consta na relação dos Museus do Brasil e é rico em peças da colonização, indígenas e outros.

Berço Regional da Cultura

Cerro Largo, tem esse cognome porque desde o início da colonização se destacou pelo número e qualidade educativa. Pois, as escolas todas eram comunitárias. As famílias construíam suas escolas e providenciavam os professores, que também eram pagos pelas famílias. De 1902 até 1937 os poderes públicos não haviam providenciado nenhuma escola e nem pago algum professor. Apenas em 1937 surgiu a 1ª escola estadual em Cerro Largo, e também não havia escola municipal.

O número e a qualidade destas escolas particulares paroquiais, colégios de irmãs e irmãos, bem como o seminário São José trouxeram nomes de expressão, podendo ser destacados alguns:

- Pe. Nedel, SJ, fundador da UNISINOS (São Leopoldo-RS);

- Pe. Roque Schneider, SJ, da Rede Vida de Televisão e escritor;

- O filósofo existencialista Ernildo Stein, livre docente universal;

- O bispo D. Estanislau Kreutz, bispo emérito da Diocese de Santo ongelo-RS;

- O administrador João Kreutz, 1º vice-diretor brasileiro do Deutsche Bank no Brasil;

- O Pe. Inácio Spohr, SJ, Secretário Geral da Ordem dos Jesuítas em Roma-ITA;

- Irmão Edgar Haab, Secretário Geral da Congressão Lassalista em Roma-ITA;

- O Dr. Ivan Colling, eletroeletrônico, um dos cordenadores da implantação das turbinas da hidrelétrica binacional de Itaipú;

- Dr. Marcelo Pellenz, engenheiro eletroeletrônico (PUC-PR) e assessor da multinacional Motorola;

- Dr. Beno Sander, setor educacional da OEA;

- Dr. Cleto Sauer, informática, ex-assessor do governo alemão (5 anos) e da 1ª-ministra Margareth Tatcher (Inglaterra) (1 ano);

- José Kochhann, superintendente do Banco do Brasil no RS;

- Rudinei Antes, Dr. Engenheiro Químico do Grupo Aracruz Celulose;

- Sílvio Delmar Hollenbach, sargento do exército, mártir humanitário em Brasília-DF;

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Serro Azul, por ato municipal nº 65, em 1915, subordinado ao município de São Luís Gonzaga.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o distrito de Serro Azul permanece no município de São Luis Gonzaga.

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII1937.

Pelo decreto estadual nº 7199, de 31-03-1938, o distrito de Serro Azul está grafado Cêrro Azul e permanece no município de São Luis Gonzaga.

Pelo decreto-lei estadual nº 720, de 29-12-1944, o distrito de Cêrro Azul passou a denominar-se Cêrro Largo.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Cerro Largo permanece no município de São Luís Gonzaga.

Elevado à categoria de município com a denominação de Cêrro Largo, pela lei estadual nº 2519, de 15-12-1954, desmembrado de Luís Gonzaga. Sede no antigo distrito de Cêrro Largo. Constituído de 3 distritos: Cerro Largo, Pôrto Xavier e Roque Gonzales. Instalado em 28-02-1955.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955.

Pela lei municipal nº 141, de 12-11-1958, é criado o distrito de São Paulo das Missões ex-povoado e anexado ao município de Cêrro Largo.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 4 distritos: Cêrro Largo, Pôrto Xavier, Roque Gonzales e São Paulo das Missões.

Pela lei municipal nº 337, de 16-10-1963, é criado o distrito de Salvador das Missões e anexado ao município de Cêrro Largo.

Pela lei estadual nº 5214, de 06-01-1965, desmembra do município de Cerro Largo

o distrito de Porto Xavier. Elevado à categoria de município. Pela Lei Estadual nº 5134, de 07-12-1965, desmembra do município de Cerro Largo o distrito de Roque Gonzales. Elevado à categoria de município. Pela Lei Estadual nº 5205, de 30-12-1965, desmembra do município de Cerro Largo o distrito de São Paulo das Missões. Elevado à categoria de município. Pela lei municipal nº 336, de 16-10-1966, é criado o distrito de São Pedro do Butiá e anexado ao município de Cerro Largo. Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 3 distritos: Cerro Largo, Salvador das Missões e São Pedro do Butiá.

Pela lei municipal nº 1082, de 25-07-1988, é criado o distrito de Santa Catarina expovoado. Criado com terras desmembradas dos distritos de Salvador das Missões e São Pedro do Butiá e anexados ao município de Cerro Largo.

Pela lei municipal nº 1083, de 25-07-1988, é criado o distrito de São Francisco e anexado ao município de Cerro Largo. Pela lei municipal nº 1090, de 16-08-1988, é criado o distrito de Santo Antônio e anexado ao município de Cerro Largo. Pela lei estadual nº 9549, de 20-03-1992, desmembra do município de Cêrro Largo

o distrito de Salvador das Missões. Elevado à categoria de município. Pela Lei Estadual nº 9553, de 20-03-1992, desmembra do município de Cêrro Largo o distrito de São Pedro do Butiá. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 2001, o município é constituído de 3 distritos: Cerro Largo, Santo Antônio e São Francisco. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alterações toponímicas distritais

Sêrro Azul para Cêrro Azul teve sua grafia alterado, pelo decreto estadual nº 7199, de 3103-1938.

Cerro Azul para Cêrro Largo alterado, pelo decreto-lei estadual nº 720, de 29-12-1944.

Fonte: IBGE - Agência Cerro Largo

Código do Município

4305207

Gentílico

cerro-larguense

Prefeito

VALTER HATWIG SPIES

População
População estimada [2018]14.074 pessoas  
População no último censo [2010]13.289 pessoas  
Densidade demográfica [2010]74,79 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,3 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]3.599 pessoas  
População ocupada [2016]25,7 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]26,3 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,2 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6,2  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,5  
Matrículas no ensino fundamental [2017]1.406 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]357 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]121 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]35 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]12 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]2 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]45.330,48 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]72,5 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,764  
Total de receitas realizadas [2017]47.201,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]42.106,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]- óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]5,3 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]5 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]177,675 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]40,8 %  
Arborização de vias públicas [2010]95,6 %  
Urbanização de vias públicas [2010]18,9 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Cerro Largo: Imagens da cidade e Região

imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-1
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-2
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-3
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-4
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-5
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-6
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-7
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-8
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-9
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-10
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-11
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-12
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-13
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-14
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-15
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-16
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-17
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-18
imagem de Cerro+Largo+Rio+Grande+do+Sul n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Cerro Largo e arredores.


Você conhece a cidade de Cerro Largo? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: