Início » Mato Grosso do Sul » Amambai


Amambai - Mato Grosso do Sul



Amambai é uma cidade da região Centro-Oeste, localizado no estado de Mato Grosso do Sul. Está localizado a 90km de Ponta Porã e 50km de Coronel Sapucaia (fronteira com o Paraguay). O Município está localizado numa região de relevo levemente ondulado, predominando os Campos de Vacaria e Mata de Dourados.

O município de Amambai está localizado no sul da região Centro-Oeste do Brasil, à sudoeste de Mato Grosso do Sul (Microrregião de Dourados) e próximo da fronteira com o Paraguai. Possui latitude de 23º0615 Sul e longitude de 55°1333 Oeste.

Encontra-se a 1.375km de Brasília, 359km de Campo Grande, capital do Estado, sendo asfaltados os acessos de Ponta Porã a Amambai (93km), de Mundo Novo a Amambai (162km)e asfaltados de Caarapó a Amambai (77km).

História da cidade de Amambai Mato Grosso do Sul - MS

O atual Município de Amambai teve seu primeiro devassamento realizado pelo bandeirante Aleixo Garcia. Entretanto seu povoamento se iniciou por volta de 1580 com o estabelecimento das missões jesuítas espanholas. A reunião de Portugal e Espanha sob o governo de uma só coroa, além de invalidar o Tratado de Tordesilhas, permitiu que as missões jesuítas ampliassem sua zona de influência em direção ao nascente, buscando uma saída para o litoral; situação que não agradava aos habitantes coloniais do Brasil. Por este motivo, em agosto de 1628, Antônio Raposo Tavares organizou uma bandeira e partiu em direção às missões jesuítas sediadas em Guaíra, destruindo-as completamente. Houve revanche por parte dos adversários e por isso, os embates bélicos entre bandeirantes e castelhanos se prolongaram por muitos anos, na região sul da província, agravando-se com o rompimento dos Tratados de 1750. Em vista da situação, D. Luiz de Souza, Capitão-General de São Paulo fundou uma fortaleza em Iguatemi, denominando-a de Colônia Militar de Iguatemi, a qual se manteve até 1777, quando foi atacada por forças castelhanas a mando de Agostinho Fernandes de Pinedo, Governador do Paraguai. O Tratado de Santo Ildefonso, em 1777, veio por fim aos choques armados.

A partir de 1882, Thomas Laranjeira conseguiu, por intermédio do Barão de Maracaju, uma concessão do Governo Imperial para colher erva-mate nos terrenos devolutos da fronteira com o Paraguai. Os trabalhos da Cia. Mate Laranjeira começaram em 25-07-1833, quando fincaram-se os esteios do primeiro arranchamento à margem do Rio Verde. Com o monopólio da extração da erva-mate, Laranjeira firmava o povoamento da região do Amambai, ligando seu nome à sua história.

A sede das atividades da empresa, na zona do Amambai, instalou-se num local que mais tarde tomou a denominação de Nhu-verá (Campo que brilha), atualmente Vila de Coronel Sapucaia.

A área que hoje constitui a cidade de Amambai, teve seu povoamento iniciado em 03-08-1903, quando ali se fixaram Januário Lima, Marcelino Lima, José Garibaldi Rosa, Oscar trindade e outros.

Em 1913, o Governo do Estado, por solicitação do Cel. Valêncio de Brum, líder político na região, concedeu uma gleba de terras para a formação do povoado, que tomou inicialmente a denominação de Patrimônio da União, posteriormente Vila União, atualmente cidade de Amambai.

Gentílico: amambaiense

Formação Administrativa

Em divisões territoriais datadas de 31-12-1936 e 31-12-1937, figura no Município de Ponta Porã o Distrito de Amambai.

Pelo Decreto-Lei Federal nº 9055, de 12-03-1946, o Distrito de Patrimônio União passou a denominar-se Amambai.

Por Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, promulgado à 18-09-1946, foi extinto o Território de Ponta Porã e o Distrito incorporado ao Estado de mato Grosso do Sul.

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 330, de 07-01-1947 a área do extinto Território de Ponta Porã reincorporado ao Estado de Mato Grosso do Sul.

Elevado à categoria de município com a denominação de Amambai, pela Lei nº 131, de 28-09-1948. Desmembrado de Ponta Porã. Sede no Distrito de Amambaí. Constituído de 3 Distritos: Amambai, Antônio João e Iguatemi.

Por Lei nº 1166, de 20-11-1958 é criado o Distrito de Tacuru e incorporado ao Município de Amambai.

Por Lei nº 1167, de 20-11-1958 é criado o Distrito de Paranhos e incorporado ao Município de Amambai.

Por Lei nº 1124, de 17-11-1958 é criado o Distrito de Morumbi e incorporado ao Município de Amambai.

Por Lei nº 1177, de 17-11-1958 é criado o Distrito de Eldorado e incorporado ao Município de Amambai.

Em divisão territorial datada de 1-07-1960, o município é constituído de 7 Distritos: Amambai, Antônio João, Iguatemi, Eldorado, Morumbi, Paranhos e Tacuru.

Por Lei Estadual nº 1981, de 11-11-1963, desmembra do Município de Amambai o Distrito de Iguatemi. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Estadual nº 2063, de 14-12-1963 é criado o Distrito de Mundo Novo e incorporado no Município de Amambai.

Em divisão territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído de 7 Distritos: Amambai, Antônio João, Eldorado, Morumbi, Paranhos, Tacuru e Mundo Novo.

Por Lei Estadual nº 2774, de 13-10-1967, o Distrito de Antônio João passou a denominar-se Coronel Sapucaia.

Por Lei Estadual nº 3692, de 13-05-1976, desmembra de Amambai o Distrito de Eldorado e Morumbi para formar o novo Município de Eldorado.

Pela Lei Estadual nº 3693, de 13-05-1976, desmembra de Amambai o Distrito de Mundo Novo. Elevado à categoria de município.

Pela Lei Estadual nº 3765, de 30-06-1976, é criado o Distrito de Sete Quedas e incorporado ao Município de Amambai.

Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 5 Distritos: Amambai, Coronel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru.

Por Lei Estadual nº 72, de 12-05-1980, desmembra de Amambai o Distrito de Tucuru. Elevado à categoria de município.

Por Lei Estadual nº 73, de 12-05-1980, desmembra do Municípo de Amambai o Distrito de Sete Quedas. Elevado à categoria de município.

Por Lei Estadual nº 623, de 30-12-1985, retificada pela Lei Estadual nº 810, de 2112-1987, desmembra de Amambai, o Distrito de Coronel Sapucaia. Elevado à categoria de município.

Por Lei Estadual nº 777, de 17-11-1987, retificada por Lei Estadual nº 811, de 2112-1987, desmembra de Amambai o Distrito de Paranhos. Elevado à categoria de Município.

Em divisão territorial datada de 15-07-1997, o município é constituído do Distrito Sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-07-1999.

Alteração Toponímica Distrital

Patrimônio União para Amambai, alterada pela Lei Federal nº 9055, de 12-03-1946.

Fonte: IBGE

Código do Município

5000609

Gentílico

amambaiense

Prefeito

EDINALDO LUIZ DE MELO BANDEIRA

População
População estimada [2018]38.958 pessoas  
População no último censo [2010]34.730 pessoas  
Densidade demográfica [2010]8,26 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,0 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]4.792 pessoas  
População ocupada [2016]12,6 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]37,8 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]93,2 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]5,7  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,1  
Matrículas no ensino fundamental [2017]6.547 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]1.293 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]374 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]112 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]16 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]6 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]23.076,05 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]81,4 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,673  
Total de receitas realizadas [2017]120.973,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]117.581,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]27,38 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]6,3 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]16 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]4.202,324 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]23,7 %  
Arborização de vias públicas [2010]96,3 %  
Urbanização de vias públicas [2010]13,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Amambai: Imagens da cidade e Região

imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-1
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-2
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-3
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-4
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-5
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-6
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-7
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-8
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-9
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-10
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-11
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-12
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-13
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-14
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-15
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-16
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-17
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-18
imagem de Amambai+Mato+Grosso+do+Sul n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Amambai e arredores.


Você conhece a cidade de Amambai? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: