Início » Ceará » Poranga


Poranga - Ceará



Poranga faz parte do estado do Ceará. Localizado na Mesorregião do Noroeste Cearense e na Microrregião de Ipu. A população avaliada em 2004 era de 12.086 habitantes.

Poranga é vocábulo indígena que significa bonito. Da língua tupi porang: belo, lindo, formoso, bonito Cidade muito bela sua praça costuma acumular jovens a procura de um grande amor . Umas das principais ponto turístico e a cachoeira e o olho d′água. ep.

Chamou-se sucessivamente, Várzea Formosa e Formosa. Sua formação urbana provém de agricultores e pecuaristas cujo primitivo gregamento se deu em terras banhadas pelas nascentes dos rios Inhussu, Acaraú, Jatobá e Macambira. A elevação do reduto à categoria de Vila deu-se quando da criação do Município de Ipueiras (Dec-Lei nº 448, de 20/12/1938). A elevação à categoria de Município decorre da Lei nº 3.665, de 5 Julho de 1957, tendo sido instalado a 22 de Setembro do mesmo ano. As primeiras manifestações de apoio eclesial provêm, inicialmente, de doações patrimoniais das quais constam como doadores Lourenço Alves de Almeida (1897) e Malaquias Alves de Almeida (1898), seguindo-se a edificação da respectiva Capela. Esse nicho foi construído graças ao trabalho realizado pelo padre Francisco Máximo Feitosa de Castro, vigário de Ipueiras, tendo como patronos, Jesus, Maria e José.

História da cidade de Poranga Ceará - CE

Chamou-se inicialmente Várzea Formosa e mais tarde, Formosa. A lei nº 1.114, de 30 de dezembro mudou o nome para Poranga, tradução Tupi do adjetivo Formosa.

Foram sugeridas nas não aceitas as denominações Formosa e Feitosa, esta em homenagem ao Padre Francisco Máximo Feitosa e Castro, que na qualidade de Vigário de Ipueiras, muito trabalhou pela construção da capela local.

Era distrito do município de Ipueiras quando por lei nº 3.665, de 5 de julho de 1957 recebeu a autonomia municipal.

Gentílico: poranguense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Várzea Formosa, pela lei provincial nº 929, de 06-08-1860 e por ato provincial de 03-06-1887, subordinado ao município de Ipueiras.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Várzea Formosa, figura no município de Ipueiras.

Pelo decreto estadual nº 1156, de 04-12-1933, o município de Ipueiras, foi extinto sendo sua área anexada ao município de Nova Russas, como distrito.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, Várzea Formosa é distrito do município de Nova Russas.

Pelo decreto estadual nº 1512, de 18-03-1935, é recriado o município de Ipueiras, voltando o distrito de Várzea Formosa a pertencer ao município de Ipueiras. Desmembrado de Nova Russas.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o distrito de Várzea Formosa, figura no município de Ipueiras.

Pelo decreto estadual nº 448, de 20-12-1938, o distrito de Várzea Formosa passou a denominar-se simplesmente Formosa.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o distrito já denominado Formosa, figura no município de Ipueiras.

Pelo decreto-lei estadual nº 1114, de 30-12-1943, o distrito de Formosa passou a denominar-se Poranga.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito já denominado Poranga, figura no município de Ipueiras.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955.

Elevado à categoria de município com a denominação de Poranga, pela lei estadual nº 3665, de 05-07-1957, desmembrado de Ipueiras. Sede no antigo distrito de Poranga. Constituído de 2 distritos: Poranga e Macambira, ambos desmembrado de Ipueiras. Instalado em 22-09-1957.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Poranga e Macambira.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 17-I-1991.

Pela lei municipal nº 15, de 25-09-1991. São criado os distritos de Buritizal e Cachoeira Grande e anexados ao município de Poranga.

Em divisão territorial datada de 1-VI-1995, o município é constituído de 4 distritos: Poranga, Buritizal, Cachoeira Grande e Macambira. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alterações toponímicas distritais:Várzea Formosa para simplesmente Formosa alterado, pelo decreto estadual nº 448, de 2012-1938.Formosa para Poranga alterado, pelo decreto-lei estadual nº 1114, de 30-12-1943.

Fonte: IBGE

Código do Município

2311009

Gentílico

poranguense

Prefeito

CARLISSON EMERSON ARAUJO DA ASSUNÇÃO

População
População estimada [2018]12.334 pessoas  
População no último censo [2010]12.001 pessoas  
Densidade demográfica [2010]9,17 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,7 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]743 pessoas  
População ocupada [2016]6,1 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]56,1 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]98,8 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]6,1  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]4,2  
Matrículas no ensino fundamental [2017]2.050 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]539 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]127 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]40 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]9 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]2 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]5.882,43 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]96,9 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,581  
Total de receitas realizadas [2017]32.651,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]32.253,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]25,64 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]1,7 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]5 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]1.309,259 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]11,3 %  
Arborização de vias públicas [2010]94,9 %  
Urbanização de vias públicas [2010]2,6 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Poranga: Imagens da cidade e Região

imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-1
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-2
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-3
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-4
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-5
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-6
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-7
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-8
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-9
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-10
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-11
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-12
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-13
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-14
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-15
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-16
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-17
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-18
imagem de Poranga+Cear%C3%A1 n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Poranga e arredores.


Você conhece a cidade de Poranga? Então deixe seu comentário!


Comentários (2)

  1. JOSE's avatarJOSE

    NOSSA REGIAO E LINDA E NOSSA CIDADE TAMBEM TEMOS PROBLEMAS COMO TODA CIDADE POREM MESMO ASSIM VEMOS NOSSA CIDADE EVOLUINDO COM O PASSAR DO TEMPO. E AOS PESSIMISTAS APENAS O PESSIMISMO POIS MESMO ASSIM ACREDITO NO DESENVOLVIMENTO DE MINHA CIDADE VOU SER OTIMISTA SEMPRE

    #2 – 18/04/2017 - 05:45

  2. jose marinho almeida almeida's avatarjose marinho almeida almeida

    Deve ser muito difícil para uma pequena cidade, encravada no final da Serra da Ibiapaba, situada ainda numa zona de litígio, entre os estados do Ceará e Piauí, isolada e esquecida. Conhecida, por isso mesmo, como terra de ninguém, políticos inescrupulosos de ambos os estados tiram proveitos eleitoreiros sem se preocuparem com o desenvolvimento social e econômico daquela gente que vive à margem desse processo. O atraso permeia em todos os sentidos nessa paupérrima região na qual cada um vive por si, exposto às agruras do subdesenvolvimento desumano e selvagem.

    #1 – 18/06/2016 - 02:45

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: