Início » Ceará » Ipu


Ipu - Ceará



Ipu é uma cidade, localizado no noroeste do estado do Ceará. Localizado na Mesorregião do Noroeste Cearense e na Microrregião homônima

Segundo Silveira Bueno, Ipu provém do Tupi y-pu, que significa água que surge, que borbulha, ou seja, fonte, bica.

O municipio de Ipu é citado no romance de José de Alencar, Iracema, índia nativa que se banhava na bica, também conhecida como "a virgem dos lábios de mel". Inicialmente o povoado nasceu dentro das terras dadas em Sesmarias pelo estado português a alguns colonos radicados em Pernambuco. Ligada às terras da Matriz de São Gonçalo da Serra dos Côcos (hoje em Ipueiras) e à sede da primeira Vila (Guaraciaba do Norte), a povoação fora construída em cima de um velho cemitério indígena. A sua praça central (chamada por seus habitantes de "Praça da Igrejinha") está localizada neste "útero inicial" em que aquela sociedade veio a nascer ainda no século XVII. A região entrou em disputa entre padres Jesuítas e colonos; até que, após a expulsão dos jesuítas do Brasil pelo Marquês de Pombal, as terras e os infelizes indígenas que nela habitavam ficaram entregues aos "cuidados" dos colonos brancos. Reduzidos a escravos (ou semi-escravos), os indígenas foram incorporados àquela sociedade colonial na condição precária de "cabras" agregados às terras que um dia foram deles. Apenas em 1840/41 a Vila Nova do Ipu Grande fora transformada em sede da Vila. Em 1885 a Vila é elevada à condição de cidade; em 1894, com a instalção da Estrada de Ferro de Sobral, a cidade passou a crescer e urbanizar-se lentamente. A economia comerciária, promovida pela ferrovia, possibilitou à classe comerciária local adquirir capitais gerados do trabalho e do comércio algodoeiro. A cidade crescia e com isso aumentavam os problemas. As elites conheceram um crescimento significativo, para depois mergulharem numa estagnação econômica acarretada pela desativação da ferrovia e do comércio a ela ligado. Nos anos 40 do século XX, a cidade mergulha num processo de decadência até culminar com o completo desmonte da ferrovia nos anos 50, 60 e 70 do século passado. Decadente, a cidade transforma-se num verdadeiro "curral-eleitoral" para a oligarquia local; momento em que a prefeitura da cidade transforma-se na maior empregadora do município.

História da cidade de Ipu Ceará - CE

Rezam as crônicas que, em 1694, a Corte de Portugal fez doação de vinte léguas de terras a Dna. Joana Paula Vieira Mimosa, mulher excepcional e que foi baluarte para a conquista e definitiva colonização das terras onde hoje ergue-se a cidade de Ipu, sede do município do mesmo nome.

O historiador Eusébio de Sousa, ipuense, afirma que Dna. Joana conseguia com rara habilidade catequizar a indiada que descia a Serra Grande e vinha pescar nos rios e riachos localizados nas proximidades de Ipu. Em 1740, vieram ter ao arraial, vários clérigos misssionários da Vila Real de Viçosa. Em 1870 é formado o patrimônio para ereção da Capela sob a invocação de São Sebastião, em torno da qual organizou-se o povoado que primitivamente chamou-se Papo.

Aos 12 de maio de 1791, é criado o município que teve sua primeira sede na povoação de Campo Grande, então elevado à categoria de vila, com o nome de Vila Nova D` Rei. A lei provincial nº 200, de 26 de agosto de 1840, suprime a Vila que é transferida para o Ipu Grande, recebendo a denominação de Vila Nova Ipu Grande, esta também suprimida em janeiro de 1841, com retorno da sede para Campo Grande. Em 1842, aos 3 de dezembro, por força de diploma legal de nº 261, deo Governo Provincial, a sede da Vila foi definitivamente revertida ao Ipu.

A Vila de Ipu foi elevada à categoria de cidade aos 25 de novembro de 1885 de acordo com a lei provincial nº 2.098.

Gentílico: ipuense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Vila Nova Del Rei, pela lei provincial nº 2037, de 27-101883.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Vila Nova Del Rei, por carta régia de 12-051791. Sede na vila de Nova Del Rei.

Pela lei provincial nº 200, de 26-08-1840, a vila de Vila Nova de Rei passou a denominar-se Vila Nova do Ipu Grande. Sob a mesma lei transferiu a sede de vila Nova Del Rei para Ipu Grande.

Pela lei provincial nº 230, de 01-01-1841, à vila é extinta.

Elevada novamente à categoria de vila com a denominação de Pires Ferreira, Ipu Grande, pela lei provincial nº 261, de 03-12-1842.

Elevada à categoria de cidade com a denominação de Ipu, pela lei provincial nº 2098, de 25-111885.

Pelo ato de 18-11-1896, criado o distrito de Varjota e anexado ao município de Ipu.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município aparece constituído de 3 distritos: Ipu, Vartoja e Várzea.

Pelo decreto estadual nº 1156, de 04-12-1933, o município de Ipu adquiriu o extinto município de Ipueiras. Sob o mesmo decreto é criado o distrito de Pires Ferreira e anexado ao município de Ipu.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933 o município é constituído de 5 distritos: Ipu, Ipueiras, Pires Ferreira, São Gonçalo e Varjota. Sendo que o distrito de São Gonçalo desmembrado do distrito de Ipueiras.

Pelo decreto estadual nº 1512 de 18-03-1935, desmembrado do município de Ipu os distritos de Ipueiras e São Gonçalo. Para formar novamente o município de Ipueiras.

Pelo decreto nº 1540, de 03-05-1935, o distrito de Varjota deixa de pertencer ao município de Ipu, sendo anexado ao novo município de Santa Cruz.

Pela lei nº 170, de 17-09-1936, são criados os distritos de Baixa Larga e Frade e anexado ao município de Ipu.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 4 distritos: Ipu, Pires Ferreira, Baixa Larga e Frade.

Pelo decreto estadual nº 448, de 20-12-1938, é extinto o distrito de Baixa Larga, sendo seu território anexado ao distrito de sede Ipu. Sob o mesmo decreto o distrito de Frade passou a denominar-se Irajá e ainda é criado o distrito de Santo Isidro criado com terras dos distritos de Pires Ferreira e Irajá.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: Ipu, Irajá ex-Frade, Pires Ferreira e Santo Isidro. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955.Pela lei estadual nº 3995, de 27-10-1957, o distrito de Irajá deixa de pertencer ao município de Ipu, sendo anexado ao município de Batoque.Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: Ipu, Pires Ferreira e Santo Isidro.Pela lei estadual nº 6418, de 09-07-1963, desmembra do município de Ipu o distrito de Pires Ferreira. Elevado à categoria de muicípio.Pela lei estadual nº 6984, de 20-12-1963, desmembra do município de Ipu o distrito de Santo Isidro. Elevado à categoria de município com a denominação de Delmiro Gouveia. Pela lei estadual nº 7010, de 26-12-1963, é criado o distrito de Várzea do Giló e anexado ao município de Ipu.Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Ipu e Várzea de Giló.Pela lei estadual nº 7264, de 27-05-1964, é criado o distrito de Flores e anexado ao município de Ipu. Pela lei estadual nº 8339, de 14-12-1965, o município de Ipu adquiriu os extintos município de Delmiro Gouveia e Pires Ferreira, como simples distritos.Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído de 5 distritos: Ipu, Delmiro Gouveia, Flores, Pires Ferreira e Várzea do Giló.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1983.

Pela lei estadual nº 11325, de 22-05-1987, desmembra do município de Ipu os distritos de Pires

Ferreira e Delmiro Gouveia. Para formar o novo município de Pires Ferreira. Em divisão territorial datada de 17-I-1991, o município é constituído de 3 distritos: ipu, Flores e Várzea do Giló. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999. Pela lei nº , de , é criado o distrito de Abílio Martins e anexado ao município de Ipu. Em divisão territorial datada de 2003, o município é constituído de 4 distritos: Ipu, Abílio Martins, Flores e Várzea do Giló. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alterações toponímica municipais

Vila Nova Del Rei para Vila Nova de Ipu alterado, pela lei provincial nº 200, de 26-08-1840. Vila Nova de Ipu para Ipu alterado, pela lei provincial nº 2098, de 25-11-1885.

Origem Toponímica:

O nome Ipu origem do Tupi-Guarani I (água) e o onomatopaico PU (queda).

Pontos Turisticos:

Cachoeira da Bica: precipta-se de 135 metros das alturas da serra da ibiapaba. Apresentando-se como uma importante atração turística da região sendo citada até em grandes obras literárias como no livro Iracema de José de Alencar.

Fonte: IBGE

Código do Município

2305803

Gentílico

ipuense

Prefeito

CARLOS SERGIO RUFINO MOREIRA

População
População estimada [2018]41.873 pessoas  
População no último censo [2010]40.296 pessoas  
Densidade demográfica [2010]64,03 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,5 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]3.341 pessoas  
População ocupada [2016]8,1 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]52,1 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97,3 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4,8  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3,7  
Matrículas no ensino fundamental [2017]5.952 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]1.765 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]386 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]110 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]34 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]8 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]8.052,99 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]84,2 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,618  
Total de receitas realizadas [2017]95.058,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]85.478,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]7,19 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,8 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]17 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]629,315 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]7,2 %  
Arborização de vias públicas [2010]96,1 %  
Urbanização de vias públicas [2010]5,5 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Ipu: Imagens da cidade e Região

imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-1
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-2
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-3
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-4
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-5
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-6
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-7
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-8
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-9
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-10
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-11
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-12
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-13
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-14
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-15
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-16
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-17
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-18
imagem de Ipu+Cear%C3%A1 n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Ipu e arredores.


Você conhece a cidade de Ipu? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: