Início » Bahia » Itaquara


Itaquara - Bahia



Pequena cidade brasileira do estado da Bahia (micro-região de Jequié), Itaquara situa-se a 578 m de altitude. O município tem 7.437 habitantes, numa área total de 297,0km².

Caracteristíca Agricultura (11º. produtor baiano de maracujá). Conforme registro da JUCEB, possui 15 indústrias, 126º. lugar na posição geral do Estado da Bahia e 84 estabelecimentos comerciais, 241ª. posição dentre os municípios baianos. Seu parque hoteleiro registra 20 leitos. Registro de consumo elétrico residencial (Kwh/hab): 87,67 - 172º. no ranking dos municípios baianos.

História da cidade de A história de Itaquara não se remonta a eras longínquas, pois o seu início data de pouco mais de um século. Os primórdios da vida social, com o primeiro agrupamento de casas rústicas, presumivelmente, são de após a abertura da grande estrada pedestre, ou real, nome que o vulgo chamava às nossas primitivas vias de comunicações.

Essa grande estrada que, partindo do litoral, demandava a cidade de Vitória da Conquista e se comunicava com o Norte de Minas foi aberta por destemidos e esforçados sertanistas; capitaneados pelo ousado bandeirante Manoel de Sousa Santos e seus filhos: capitão Manuel Esteves de Sousa Santos , apelidado capitãozinho, e alferes João de Sousa Santos. Essa estrada, de traçado admirável, parecia obra de técnicos e era de extrema necessidade, tanto assim que, chegando a sua existência ao conhecimento do Governo Colonial, já estabelecido em nosso país, com a fuga da Corte lusa para as nossas plagas, açoitada pelas hostes napoleônicas, isso precisamente na primeira década do século passado, baixou D. João VI, então reinante, um decreto que concedeu àqueles desbravadores a sesmaria de uma vasta região, em que se achavam as terras do Poço do Vacão, Vazante, Santana e Casca, as quais formam hoje três municípios. Essa doação foi feita como um prêmio para aqueles operosos desbravadores dos nossos sertões adustos e construtores de tão importante e utilíssima artéria de comunicação, que facilitaria o intercâmbio comercial entre diferentes zonas do nosso estado. Os beneficiários estabeleceram-se desde logo, talvez antes mesmo, um pouco abaixo da atual cidade de Itaquara, no lugar denominado Santana, com fazendas de cultura e criatório de gado solto. Ainda há pouco se lia em um velho eixo de bolandeira, de fabrico de farinha de mandioca, uma semi-apagada inscrição de 1811. Ali viveu até o último quartel de sua existência o velho chefe da família, cuja casa ainda existe. Sucedeu-lhe o filho Manuel Esteves, o capitãozinho, que a vendeu, por sua vez, em 1858, ao comendador José Rodrigues da Costa, que restabeleceu o referido criatório de gado, entregando-o a vaqueiros mediante regime de parceria (sortes). O comendador era senhor de latifúndios, nas zonas canavieiras de Nazaré e de São Miguel, onde fora o precursor da cultura neste último município. A dita estrada, uma vez aberta, entrou logo em fase de intensa atividade; eram tropas carregadas que subiam para o Alto Sertão, levando toda sorte de mercadoria, como também de lá desciam os produtos da terra, como algodão, farinha, couros, cereais e gado de várias espécies, vindos até do norte de Minas em procura do litoral baiano. Então, em todo o percurso, ao longo da referida estrada, existiam os pontos de pouso (rancharias), para o pernoite e descanso dos viandantes e alimárias, sendo que muitos deles se desenvolveram e se transformaram em vilas e cidades: Itaquara foi um desses pontos.

O começo da formação da cidade deve-se ao velho Brandão de Moura, que, vindo de São Felipe, se estabelecera no lugar chamado Barriguda, com boa fazenda. Depois veio, de Santo Antônio de Jesus, com numerosa família, Reinaldo de Almeida, que se estabeleceu junto à atual cidade, sendo este o fator preponderante de sua fundação.Em seguida, oriundos do mesmo local, elegeram Vicente de Almeida, Reinaldo Sampaio e irmãos, acompanhados das respectivas famílias, os quais construíram as primeiras edificações. Após isso, com a vinda de novos habitantes, foi criado um pequeno povoado com a denominação de Caldeirão, nome dado aos buracos feitos nas pedras, para captação de água da chuva, com que era mitigada a sede dos moradores e viajantes.

Um dia chega, com a sua maleta, um jovem e promissor negociante ambulante, que simpatiza com o lugar. Inteligente, vê possibilidade de negócio e se estabelece no lugar com pequena casa comercial. é Diogo Espínola de Andrade. Não se engana no prognóstico: dá-se bem, estende o negócio, afeiçoa-se a uma filha do velho Reinaldo de Almeida e casa-se com ela, constituindo família. Compra fazenda, negocia também com gado, realiza intercâmbio de mercadorias com Minas. Cresce-lhe tanto o nome que já começa a aparecer no topônimo Caldeirão do Diogo. Surge então a idéia de se erigir uma capela para o culto divino; o material é fornecido por Diogo, sendo então a capela construída. Esta foi depois ampliada e é a mesma que hoje existe sob a invocação de Nossa Senhora da Natividade.

Em 1913, foi elevado o povoado de Caldeirão à categoria de distrito de paz, pertencendo ao município de Areia, atual Ubaíra, isso por haverem aí chegado os trilhos da Estrada de Ferro de Nazaré. Nessa ocasião, foi construída a estação da ferrovia, que permaneceu com seu ponto terminal na localidade, durante vários meses, o que muito contribuiu para o seu desenvolvimento. Como distrito administrativo foi classificado pela Lei municipal nº 203, de 22 de julho de 1918, subordinado ao município de Areia; depois, com a criação do município de Santa Inês, desmembrado do primeiro, passou a pertencer ao novo município, com direito a representação no Conselho Municipal, sendo dotado de alguns melhoramentos. Pela Lei estadual nº 1873, de 17 de julho de 1926, quando governador do Estado o Dr. Francisco Marques de Góis Calmon, foi criado o atual município, com a denominação de Itaquara, e território desmembrado do de Santa Inês. Instalado em 3 de outubro de 1926, foi extinto pelo Decreto-lei estadual nº 141, de 31 de dezembro de 1943, e incorporado ao município de Santa Inês, sendo restaurado pelo Decreto estadual nº 12978, de 1º de junho de 1944.

A sua formação administrativa, que não sofreu alteração desde a sua criação, é de distrito único: Itaquara.

Fonte: Prefeitura Municipal de Itaquara

Autor do Histórico: GERSON FERNANDES DE ARAúJO

Código do Município

2916708

Gentílico

itaquarense

Prefeito

MARCO AURELIO WANDERLEY CRUZ COSTA

População
População estimada [2018]8.288 pessoas  
População no último censo [2010]7.678 pessoas  
Densidade demográfica [2010]23,77 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,5 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]470 pessoas  
População ocupada [2016]5,5 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]55,2 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]94,5 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3,3  
Matrículas no ensino fundamental [2017]1.039 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]286 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]71 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]17 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]10 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]1 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]8.280,01 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]-  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,553  
Total de receitas realizadas [2017]19.155,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]18.839,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]29,41 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]4,3 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]3 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]344,092 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]60,6 %  
Arborização de vias públicas [2010]85,9 %  
Urbanização de vias públicas [2010]7,9 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  18. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  19. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  21. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  22. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  23. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  24. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  25. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  26. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Itaquara: Imagens da cidade e Região

imagem de Itaquara+Bahia n-1
imagem de Itaquara+Bahia n-2
imagem de Itaquara+Bahia n-3
imagem de Itaquara+Bahia n-4
imagem de Itaquara+Bahia n-5
imagem de Itaquara+Bahia n-6
imagem de Itaquara+Bahia n-7
imagem de Itaquara+Bahia n-8
imagem de Itaquara+Bahia n-9
imagem de Itaquara+Bahia n-10
imagem de Itaquara+Bahia n-11
imagem de Itaquara+Bahia n-12
imagem de Itaquara+Bahia n-13
imagem de Itaquara+Bahia n-14
imagem de Itaquara+Bahia n-15
imagem de Itaquara+Bahia n-16
imagem de Itaquara+Bahia n-17
imagem de Itaquara+Bahia n-18
imagem de Itaquara+Bahia n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Itaquara e arredores.


Você conhece a cidade de Itaquara? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: