Início » Bahia » Feira de Santana


Feira de Santana - Bahia



Feira de Santana faz parte do estado da Bahia, localizado a 107 quilômetros de sua capital, Salvador, à qual se liga através da BR-324. Feira é a segunda cidade mais populosa do estado e maior cidade do interior nordestino em população, ou seja, é a maior cidade de toda a região Norte e Nordeste do Brasil que não seja capital de um estado, e é também a quinta maior cidade do interior do Brasil e maior que nove Capitais Estaduais. Feira de Santana é uma Capital regional e sede da região metropolitana de mesmo nome, a Região Metropolitana de Feira de Santana, que concentra mais de 672 mil habitantes (2010).

Feira de Santana é o principal centro urbano, político, educacional, tecnológico, econômico, imobiliário, industrial e comercial do interior da Bahia e um dos principais do Nordeste.

Encontra-se a 12º16′00" de latitude sul e 38º58′00" de longitude oeste, a uma altitude de 234 metros. Sua população recenseada pelo censo do IBGE em 2010 era de 556756 habitantes, mas há erros de contagem feitos em 2010, a população da cidade é de cerca de 600000 habitantes.

História da cidade de Feira de Santana Bahia - BA

No começo do século XVIII, o português Domingos Barbosa de Araújo e sua esposa,Ana Brandôa, proprietários da fazenda Santana dos Olhos D′água, mandaram erigir uma capela sob a invocação de São Domingos e Santana. Ao redor do templo, construíram-se os primeiros casebres de rendeiros e as senzalas. Essas terras, por morte dos proprietários, foram mais tarde julgadas devolutas e incorporadas a Fazenda Nacional. Graças a sua posição geográfica - no limite do recôncavo com os tabuleiros semi-áridos e, portanto, na confluência das zonas da mata e do litoral, a nova aglomeração tornou-se pouso de tropas e dos viajantes que, provenientes do alto sertão baiano e das regiões do Piauí e Goiás, demandavam o porto de Nossa Senhora do Rosário de Cachoeira.

Ainda na primeira metade do século, a povoação começou a constituir centro de permutas e escambos. Daí a formação do arraial - o arraial de Santana da Feira - foi um passo. Do comércio incipiente originou-se pequena feira livre, realizada no primeiro dia da semana. O comércio então estabelecido forçou a abertura de ruas adequadas ao trânsito de feirantes de toda parte. Assim a população cresceu e as lojas foram aparecendo.

Foi esse impulso que levou os habitantes a pedirem a criação do município, o que aconteceu em 1832, com território desmembrado do de Cachoeira.

Feira de Santana desempenhou papel importante no movimento federalista de 1832, insurgindo-se contra a revolução que irrompera na província da Bahia, e em seu território desenrolaram-se algumas lutas da Sabinada.

A grande heroína da independência, Maria Quitéria, nasceu na freguesia de São José das Itapororocas quando esta pertencia ao Município de Cachoeira.

Gentílico: feirense

Formação Administrativa

Freguesia criada com a denominação de Feira de Santana, em 1696, subordinado ao município de Cachoeirinha.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Feira de Santana, por decreto de 13-11-1832, desmembrado de Cachoeirinha. Constituído do distrito sede. Instalado em 18-091833.

Pela resolução provincial nº 657, de 16-12-1857, são criados os distritos de Almas e São José de Itapororoca e anexado ao município de Feira de Santana.

Pela resolução provincial nº 737, de 18-05-1859, é criado o distrito de Remédio da Gameleira e anexado ao município de Feira de Santana.

Pela lei provincial ou resolução provincial nº 742, de 06-06-1859, é criado o distrito de Santa Bárbara e anexado ao município de Feira de Santana.

Pela resolução provincial nº 756, de 16-06-1859, é criado o distrito de Bonfim e anexado ao município de Feira de Santana.

Pela resolução provincial nº 794, de 13-07-1859, é criado o distrito de Humildes e anexado ao município de Feira de Santana.

Elevado à condição de cidade, pela lei provincial nº 1320, de 16-06-1873, recebendo a sede a denominação comercial da Feira de Santana.

Pela lei provincial nº 1795, de 03-07-1877, é criado o distrito de Bom Despacho e anexado ao município de Feira de Santana.

Pela lei provincial ou resolução nº 1907, de 28-07-1879, é criado o distrito de Tanquinho e anexado ao município de Feira de Santana.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 9 distritos: Feira de Santana, São José da Itapororocas, Santa Bárbara, Tanquinho, Bom Despacho, Almas, Bonfim, Remédios da Gameleira e Humildes.

Por lei estadual nº 978, de 26-07-1913, é criado o distrito de São Vicente e anexado ao município de Feira de Santana.

Pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23-06-1931 e 7479, de 08-06-1931, o município de Feira de Santana passou a denominar-se Feira.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município é constituído de 10 distritos: Feira, Almas, Bom Despacho, Bonfim, Humildes, Remédios da Gameleira, Santa Bárbara, São José do Itapororoca ex-Itapororoca, São Vicente e Tanquinho.

Pelo decreto estadual nº 11089, de 30-11-1938, o município de Feira voltou a denominar-se Feira de Santana, o distrito de Remédio da Gameleira a denominar-se Ipuaçu, o distrito de Bonfim a denominar-se Itacuruça e o distrito de São José de Itapororocas a denominar-se Maria Quitéria.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 10 distritos: Feira de Santana, Almas, Bom Despacho, Bonfim, Humildes, Remédio da Gameleira, Santa Bárbara, Maria Quitéria ex- José da Itapororoca, São Vicente e Tanquinho.

Pelo decreto estadual nº 141, de 31-12-1943, o distrito de São Vicente passou a denominar-se Tiquaruçu, o de Bom Despacho a denominar-se Jaguara e o distrito de Itacuruçá a denominar-se Bonfim da Feira.

Pelo decreto estadual nº 12978, de 01-06-1944, o distrito de Almas passou a denominar-se Anguera e o distrito de Santa Bárbara a denominar-se Pacatu.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído de 10 distritos: Feira de Santana, Anguera ex-Alma, Bonfim da Feira ex- Itacurussá, Humildes, Ipuaçu ex-Remédio da Gameleira, Jaguara ex-Bom Despacho, Maria Quitéria, Pacatu ex-Santa Bárbara, Tanquinho e Tiquarussu ex-São Vicente.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 10 distritos: Feira de Santana, Anguera, Bonfim da Feira, Humildes, Ipuaçu, Jaguara, Maria Quitéria, Pacatu, Tanquinho e Tiquaruçu.

Pela lei estadual nº 506, de 28-11-1952, desmembra do município de Feira de Santana

o distrito de Tanquinho.

Pela lei estadual nº 628, de 30-12-1953, é criado o distrito de Jaíba ex-povoado e anexado ao município de Feira de Santana. Pelo acordão do Superior Tribunal Federal, de 1309-1954 (representação nº 214), o município de Tanquinho é extinto, sendo seu território voltando a pertencer ao município de Feira de Santana.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 11 distritos: Feira de Santana, Anguera, Bonfim da Feira, Humildes, Ipuaçu, Jaguara, Jaíba, Maria Quitéria, Pacatu, Tanquinho e Tiquaruçu.

Pela lei estadual nº 1019, de 14-08-1958, desmembra do município de Feira de Santana o distrito de Tanquinho. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 10 distritos: Feira de Santana, Anguera, Bonfim da Feira, Humildes, Ipuaçu, Jaguara, Jaíba, Maria Quitéria, Pacatu e Tiquaruçu.

Pela lei estadual nº 1558, de 20-11-1961, desmembra do município de Feira de Santana o distrito de Anguera. Elevado à categoria de município.

Pela lei estadual nº 1576, de 14-11-1961, desmembra do município de Feira de Santana o distrito de Santa Bárbara ex-Pacutu. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 8 distritos: Feira de Santana, Bonfim da Feira, Humildes, Ipuaçu, Jaguara, Jaíba, Maria Quitéria e Tiquaruçu.

Pela lei estadual nº 4224, de 26-12-1983, o distrito de Ipuaçu passou a denominar-se Governador Dr. João Durval Carneiro.

Em divisão territorial datada de 18-VIII-1988, o município é constituído de 8 distritos: Feira de Santana, Bonfim da Feira, Governador Dr. João Durval Carneiro, Humildes, Jaguara, Jaíba, Maria Quitéria e Tiquaruçu.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Alterações toponímicas municipais

Feira de Santana para Feira alterado, pelos decretos estaduais nºs 7455, de 23-06-1931 e 7479,

de 08-06-1931.

Feira para Feira de Santana alterado, pelo decreto estadual nº 11089, de 30-11-1938.

Fonte: IBGE

Código do Município

2910800

Gentílico

feirense

Prefeito

JOSÉ RONALDO DE CARVALHO

População
População estimada [2018]609.913 pessoas  
População no último censo [2010]556.642 pessoas  
Densidade demográfica [2010]416,03 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,0 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]132.099 pessoas  
População ocupada [2016]21,2 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]38,7 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97,4 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3.1  
Matrículas no ensino fundamental [2017]76.762 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]22.131 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]3.857 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]1.678 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]358 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]77 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]21.051,29 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]63,7 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0.712  
Total de receitas realizadas [2017]1.167.089,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]1.099.659,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]17,59 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]148 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]1.304,425 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]59,7 %  
Arborização de vias públicas [2010]48,3 %  
Urbanização de vias públicas [2010]17,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Feira de Santana: Imagens da cidade e Região

imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-1
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-2
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-3
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-4
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-5
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-6
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-7
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-8
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-9
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-10
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-11
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-12
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-13
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-14
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-15
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-16
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-17
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-18
imagem de Feira+de+Santana+Bahia n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Feira de Santana e arredores.


Você conhece a cidade de Feira de Santana? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: