Início » Bahia » Candeias


Candeias - Bahia



Candeias faz parte do estado da Bahia.

Diz a lenda que, por volta de 1640, um milagre aconteceu em um córrego que cortava o Engenho Pitanga. O córrego transformou-se em fonte dos milagres e recebeu o nome de Candeias, que simboliza luz. Atraídos pelos milagres, os romeiros construíram suas casas nos arredores da fonte e, com a descoberta do petróleo, mais pessoas passaram a viver no local. Assim, em 1958, este centro de adoração religiosa transformou-se no município de Candeias.

Com o sexto maior PIB do estado da Bahia, suas maiores atividades econômicas giram em torno de um consolidado parque industrial, um dos mais importantes portos do Brasil, o Porto de Aratu, além de fazer parte do Centro Industrial de Aratu, e estar próxima a segunda maior refinaria do país, a Refinaria Landulfo Alves - Mataripe (RLAM).

História da cidade de Candeias

A origem do Município de Candeias data de meados do século XVI, A partir das terras conhecidas como Matoim, sesmaria importante naquele período, pois abrigava os Engenhos de Cabôto e freguesia, oriundos das terras dos Engenhos Pitanga e da Freguesia de Nossa Senhora de Encarnação do Passé. Essas localidades deixaram uma marca significativa de uma época na qual predominava o Ciclo da Cana-de-Açúcar, etapa fundamental na formação da Bahia, principalmente do Recôncavo, determinante na estruturação ética e cultural da população local como também de suas características sócio-econômicas.

Nas proximidades do engenho freguesia, desenvolveu-se o lugarejo chamado Cabôto, cujas atividades principais eram o transporte de açúcar para a capital, pequeno comércio e a pesca. Os engenhos freguesia e Cabôto marcaram o florescimento da economia açucareira no recôncavo, funcionando em todo o período colonial, sendo inclusive considerado como exemplo na década de 1560. é também no Município de Candeias, precisamente no Distrito de Passé que se encontra uma das maiores e mais antigas igrejas baianas, a igreja de Nossa Senhora da Encarnação do Passé, destacando-se por representar o elo de transição entre as capelas rurais dos dois primeiros séculos e as igrejas do final do século XVII, constituindo-se em importante peça arquitetônica.

Nas terras do Engenho Pitanga, que eram de propriedade dos Jesuítas, foi construída uma capela e um engenho, destruído pelos Holandeses em 1641. Em 1760, os Jesuítas foram expulsos do Brasil, e suas terras Leiloadas e arrematadas pelo Coronel Jerônimo Queiroz. Nessas terras, nasceu o lugarejo próximo ao rio São Paulo, que passou a chamar-se Nossa Senhora das Candeias, nome pertencente a padroeira da pequena capela existente no local. Com a vitalidade da lavoura açucareira, aumentava o número de engenhos e de lugarejos nessas proximidades. A introdução da máquina a vapor possibilitou o aparecimento das usinas, o que colaborou com a transformação daquela realidade.

Consequentemente, os Senhores de Engenhos, transformaram-se em menos fornecedores de cana-de-açúcar e, após essa etapa venderam ou abandonaram suas propriedades. Enquanto isso no início do século XX, na vila de Nossa Senhora das Candeias, floresceu a Usina Pitanga, que tinha como objetivo principal escoar a produção das Usinas São Paulo e Pitanga. Foi construída a linha ferroviária, ligando a vila à capital Baiana. Nesse período acontece um fato marcante, quando se propaga que uma criança cega teria se banhado nas águas da fonte próxima à colina onde se localiza a igreja de Nossa Senhora das Candeias, voltando a enxergar. A partir desse episódio o arraial de Nossa Senhora das Candeias passou a ser visitado por Romeiros oriundos de todo o Recôncavo Baiano. Esse ritual passou a se repetir anos após anos, com as visitas dos Romeiros, modificando totalmente a realidade da vila.

Os Romeiros utilizavam as casas dos moradores, que se transformaram em pensões, oferecendo refeições e descanso. O comércio floresceu com a venda de refeições, lembranças religiosas e fogos. Os habitantes comercializavam até amostras do solo da cidade, pois os Romeiros acreditavam que após a benção na Igreja de Nossa Senhora das Candeias, essa lembrança adquiria efeitos curativos. Eram comercializadas garrafas de água da fonte dos milagres que os Romeiros disputavam avidamente para levarem como lembrança, de forma definitiva, a localidade consolidou-se então como centro importante no Recôncavo (Manual dos Romeiros,2003) Mas a verdadeira mudança aconteceu nos meados de 1941, quando houve a descoberta de Petróleo no município, nas propriedades dos fazendeiros locais.

O Arraial foi modificado completamente. A Vila foi então invadida por grupos de trabalhadores, qualificados ou não, de toda a parte. Os bois eram utilizados para puxarem sondas petrolíferas e foi então a partir daí que nasceu a cidade. Em 14 de Agosto de 1958 Candeias emancipou-se de Salvador. Essa data e comemorada todos os anos no Município

Gentílico: candeense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Nossa Senhora das Candeias (ex-povoado de Candeias), pela Lei estadual nº 628, de 30-12-1953, subordinado ao Município de Salvador.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o Distrito de Nossa Senhora das Candeias, figura no Município de Salvador.

Elevado à categoria de Município com a denominação de Candeias, pela Lei Estadual 1028, de 14-08-1958, desmembrado de Salvador. Sede no atual Distrito de Candeias (ex-Nossa Senhora das Candeias). Constituído do distrito sede. 07-04-1959.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o Município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Pela Lei nº 652, de 25-09-2006, foram criados os distritos de Caboto, Caroba, Madeira, Menino Jesus, Passagem dos Teixeiras e Passé e anexados ao Município de Candeias.

Em divisão territorial datada de 2006, o Município é constituído de 7 distritos: Candeias, Caboto, Caroba, Madeira, Menino Jesus, Passagem dos Teixeiras e Passé.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração Toponímica Distrital

Nossa Senhora das Candeias para Candeias, alterado pela Lei estadual nº 1028, de 14-08-1958.

Fonte: Confederação Nacional de Municípios; IBGE

Código do Município

2906501

Gentílico

candeense

Prefeito

PITAGORAS ALVES DA SILVA IBIAPINA

População
População estimada [2018]86.677 pessoas  
População no último censo [2010]83.158 pessoas  
Densidade demográfica [2010]321,87 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]3,1 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]15.084 pessoas  
População ocupada [2016]16,9 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]45,9 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97,6 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4,4  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3,1  
Matrículas no ensino fundamental [2017]10.328 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]3.287 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]504 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]170 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]60 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]12 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]38.581,15 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]74,4 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,691  
Total de receitas realizadas [2017]307.031,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]258.732,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]21,07 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,1 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]31 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]251,628 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]73,9 %  
Arborização de vias públicas [2010]43,6 %  
Urbanização de vias públicas [2010]37,1 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Candeias: Imagens da cidade e Região

imagem de Candeias+Bahia n-1
imagem de Candeias+Bahia n-2
imagem de Candeias+Bahia n-3
imagem de Candeias+Bahia n-4
imagem de Candeias+Bahia n-5
imagem de Candeias+Bahia n-6
imagem de Candeias+Bahia n-7
imagem de Candeias+Bahia n-8
imagem de Candeias+Bahia n-9
imagem de Candeias+Bahia n-10
imagem de Candeias+Bahia n-11
imagem de Candeias+Bahia n-12
imagem de Candeias+Bahia n-13
imagem de Candeias+Bahia n-14
imagem de Candeias+Bahia n-15
imagem de Candeias+Bahia n-16
imagem de Candeias+Bahia n-17
imagem de Candeias+Bahia n-18
imagem de Candeias+Bahia n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Candeias e arredores.


Você conhece a cidade de Candeias? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: