Início » Bahia » Brejões


Brejões - Bahia



Brejões faz parte do estado da Bahia. A população avaliada em 2010 era de 14.282 habitantes. O clima da área é seco e temperado e a temperatura varia tipicamente entre 10°C e 30°C. O município está localizado na interface entre a Caatinga e a formação original da Mata Atlântica. Em Brejões, se cultiva com maior ênfase o café, seguido pela produção de maracujá, mandioca, mamona, sisal e produtos hortigranjeiros. O setor de pecuária ainda engatinha por várias dificuldades econômicas, e o único tipo representativo desta atividade é o gado bovino de corte.

No ano de 1808, partiu de Nazaré uma bandeira chefiada pelo português Manoel Rovisco de Rosa Andrade, cujo objetivo era a abertura de uma estrada, cortando toda a zona, até atingir seu ponto final na região de Nossa Senhora da Vitória, hoje denominada Vitória da Conquista. Manoel Rovisco encontrou no lugar Cacimba, ainda hoje conhecido por esse nome, um patrício seu de nome Manoel Gonçalves Bandeira, que lhe forneceu recursos alimentícios necessários para o prosseguimento da jornada, que, em recompensa pelo auxilio e cordial acolhimento, recebeu a doação de duas ou mais léguas de terras, cuja divisa terminava na Serra João Pedro.

Seguindo sua jornada sempre em direção ao poente, Manoel Rovisco pernoitou à beira de uma lagoa; aí demorou-se com sua bandeira, apossou-se das terras, dando-lhes os nomes de Lagoa da Tiririca e Boa Vista, denominações que ainda conservam. Em 1885, de passagem pela zona, os nordestinos Estevão Chaves e João Guerra, pernoitaram na margem esquerda do rio Brejões. Animados pela fertilidade do vale em abundância da água, resolveram edificar casa para residência e iniciaram a seguir o plantio do café. Perseguidos pela seca que assolava o Nordeste, passavam numerosos grupos de retirantes, que, influenciados pelos primeiros moradores, ali ficaram. Iniciou-se desta forma o povoamento da região.

História da cidade de No ano de 1808, partiu de Nazaré uma bandeira chefiada pelo português Manoel Rovisco de Rosa Andrade, cujo fito era a abertura de uma estrada, cortando toda a zona até atingir seu ponto final na região de Nossa Senhora da Vitória, hoje denominada Cidade de Conquista.

Manoel Rovisco encontrou no lugar Cacimba em seu patrício de nome Manoel Gonçalves Bandeira, que lhe forneceu recursos alimentícios necessários para o prosseguimento da jornada. Em recompensa, pelo auxílio e cordial acolhimento, recebeu a doação de duas ou mais léguas de terra, cuja divisa terminava na Serra João Pedro, onde residia um índio domesticado, cujo nome dera à serra, hoje conhecida por Serra das Pedrinhas, divisa de Brejões com Ubaíra. Prosseguindo sua jornada, sempre em direção ao poente, Manoel Rovisco pernoitou à beira de uma lagoa; aí se demorou com sua bandeira, apossou-se das terras, demarcando-as e dando-lhes os nomes de Lagoa da Tiririca e Boa Vista.

Em 1785, de passagem pela zona, os nordestinos Estevão Chaves e João Guerra pernoitaram na margem esquerda do rio Brejões. Animados pela fertilidade do vale e abundância da água, resolveram edificar casa para residência e iniciaram a seguir o plantio do café.

Perseguidos pelas secas que assolavam o Nordeste, passavam numerosos grupos de retirantes, os quais influenciados pelos primeiros moradores ali ficavam. Iniciou-se, desta forma, o povoamento da região.

Pela Lei Provincial nº 1976 de 22 de junho de 1880, foi criado o distrito de Brejões, pertencente à freguesia de Areia (atual Ubaíra). Era presidente da província Antônio de Araújo de Aragão Bulcão.

Em 1886, vendeu Manoel Rovisco as suas propriedades, então denominadas: Lagoa do Morro, Lagoa da Tiririca e Boa Vista; a Caetano Mota Jordão que, no mesmo ano, as vendeu a Manoel Vitório da Silva e Joaquim Dias da Silva. Estes levaram consigo de Nazaré muitos escravos, iniciando em suas terras o plantio de café.

Em 1924, foi o arraial de Brejões elevado à categoria de vila pela Lei estadual nº 1715, de 24 de julho, assinada pelo governador Francisco Marques de Góis Calmon. A mesma lei criou o município que foi inaugurado a 26 de outubro do mesmo ano.

Quatro anos depois, em 1938, a vila de Brejões recebeu foros de cidade em virtude do Decreto-Lei estadual número 10724, de 30 de março.

Fonte: Prefeitura Municipal de Brejões

Autor do Histórico: GERSON FERNANDES DE ARAúJO

Código do Município

2904308

Gentílico

brejoense

Prefeito

ALESSANDRO RODRIGUES BRANDAO CORREIA

População
População estimada [2018]14.370 pessoas  
População no último censo [2010]14.282 pessoas  
Densidade demográfica [2010]29,70 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]1,8 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]798 pessoas  
População ocupada [2016]5,3 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]53 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]97,9 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4,4  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3,2  
Matrículas no ensino fundamental [2017]2.227 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]791 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]120 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]38 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]8 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]2 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]8.513,23 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]94,9 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,597  
Total de receitas realizadas [2017]34.704,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]34.915,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]5,52 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]6,3 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]2 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]518,566 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]30,5 %  
Arborização de vias públicas [2010]55,7 %  
Urbanização de vias públicas [2010]9,4 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Brejões: Imagens da cidade e Região

imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-1
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-2
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-3
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-4
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-5
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-6
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-7
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-8
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-9
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-10
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-11
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-12
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-13
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-14
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-15
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-16
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-17
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-18
imagem de Brej%C3%B5es+Bahia n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Brejões e arredores.


Você conhece a cidade de Brejões? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: