Início » Amapá » Mazagão


Mazagão - Amapá



Mazagão é um município no sul do Estado do Amapá. A população estimada em 2005 era de 13.913 habitantes e a área é de 13.131 km², o que resulta numa densidade demográfica de 1,05 hab/km².

Seus limites são Pedra Branca do Amapari e Porto Grande a norte, Santana a nordeste, a foz do rio Amazonas a sudeste, Vitória do Jari a sul e Laranjal do Jari a oeste.

Uma área às margens do rio Mutuacá, moderno Estado do Amapá, foi escolhida para receber a população da possessão de Mazagão (Marrocos), abandonada por ordem do Marquês de Pombal. O plano urbanístico ficou a cargo do arq. italiano Domingo Sambucetti. Um total de 340 famílias, algumas com escravos, chegaram a cidade de Belém em 1770 e em 1773 foram para Nova Mazagão. É certo, todavia, que algumas famílias continuaram ainda na capital ou foram para outros locais do interior, por mais que a ordem fosse de destino geral para a nova povoação.

O Município de Mazagão foi criado pela Lei no 226, em 28 de novembro de 1890, está localizado ao sul do estado (Meso Região Sul), a 41 km da Cidade de Macapá. Com três distritos: Mazagão, Carvão e Mazagão Velho. Limita-se com os municípios: Santana, Porto Grande, Pedra Branca do Amapari, Laranjal do Jari e Vitória do Jari.

Quem nasce em Mazagão é mazaganense (gentílico)

Histórico: Mazagão é o Município que durante quase meio século, apenas os "capuchos de Santo Antonio" preservaram a integridade de sua região, através da catequese junto aos aguerridos índios Urubus.

Para as margens do Rio Mutucá mudou-se, em 1769, grande número de índios, originários do Rio Negro, com a incumbência de preparar terreno para o recebimento de colonos mazaganistas de Mauritânia (áfrica). No ano seguinte, o povoado recebeu a denominação de Nova Mazagão, em homenagem a seus esperados colonizadores. De fato, em 1771 chegaram 163 famílias, trazidos pelos portugueses cristãos, do Marrocos/Mauritânia, quando da guerra com os mouros (muçulmanos), por questões religiosas, que procuraram se organizar nos moldes da pátria distante. Montou-se a primeira olaria. Os produtos agrícolas foram alvo de dedicação especial.

Considerando o difícil acesso a Mazagão, situada em estreito rio, foi a sede municipal transferida para a povoação de Vila Nova do Anauerapucu com o nome de Mazaganópolis. Posteriormente, veio a chamar-se Mazagão. Ficando a antiga com a denominação de Mazagão velho (hoje Distrito de mesmo nome).

Em 13 de setembro de 1943, o município passou a integrar o Território Federal do Amapá, desligando-se do Estado do Pará.

O município foi criado em 23 de janeiro de 1770, tendo sua sede sido elevada à categoria de vila. Em 1833 foi anexado ao Município de Macapá, com a categoria de freguesia; teve seu topônimo modificado para o de Regeneração. A sua autonomia foi reconquistada em 1841, voltando a denominar-se Mazagão. A sede municipal recebeu foros de cidade por força da Lei Provincial no 1.334, de 19 de abril de 1888, instalada a 10 de maio seguinte.

A Lei municipal no 46, de 9 de julho de 1915, aprovada pela Lei estadual no 1.471, de 14 de outubro do mesmo ano, transferiu a sede municipal para a povoação de Vila Nova do Anauerapucu, com o nome de Mazaganópolis.

E finalmente pelo Decreto Estadual no 226, de 28 de novembro de 1890, foi criada a Comarca de Mazagão e instalada sua sede (Mazagão) a 5 de março do ano seguinte.

Tendo como período chuvoso janeiro a julho. Temperatura máxima é de 38o C e mínima de 22o C.

Liga-se a Macapá, tanto por via fluvial como por via rodoviária.

Economia: Sua economia no Setor Primário está representado pela criação do gado bovino, bubalino, suíno, caprino, e equino, de galinha e da pesca. Possui também a cultura do feijão, do milho, batata-doce, banana, arroz, café, cana-de-açúcar, cacau. côco-da-baia, laranja, fumo, abacaxi e pimenta-do-reino.

No Setor Secundário, extração de fabricação de palmitos de açaí (Flórida e Equador), algumas serrarias, e fábrica de tijolos. Mas, possui entre outras riquezas, o ferro, o ouro, cromita, cassiterita, diamante e columbita, borracha, castanha-do-brasil, sementes oleaginosas, muita madeira de lei e animais silvestres.

No Terciário pequeno comércio (mercearias) e alguns bares.

Atração Turística: Como atração turística, comemora-se de 16 a 25 de julho a festa de São Tiago (padroeiro de Mazagão Velho - de onde se faz um translado até a Cidade de Mazagão, onde se dá continuidade a festa). é uma festa folclórica, quando são relembradas as lutas entre os mouros e cristãos. Que no desenrolar da batalhas em Mazagão (áfrica), teria aparecido um cavaleiro lendário que derrotou os mouros.

Eventos Culturais: Comemoração em 13 de janeiro, data do aniversário da Cidade de Mazagão. E os festejos em agosto (15) para Nossa Senhora de Assunção, padroeira da Cidade. Além do festival da laranja no mês de agosto, bem como o festival do abacaxi na primeira semana do mês de setembro.

Fonte: SOUZA, Manoel Dorandins Costa de. A Evolução Política, Demográfica e Sócio-Econômica do Amapá. Coordenação do Curso de História. Universidade Federal do Amapá.Macapá/AP, 1995. 101 p. (trabalho de conclusão de curso)

Autor do Histórico: JOEL LIMA DA SILVA

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Mazagão: Imagens da cidade e Região

Ainda não temos imagens dessa cidade, se você possui alguma envie pra gente!

Você conhece a cidade de Mazagão? Então deixe seu comentário!


Comentários (0)

Ainda não há comentários, seja o primeiro!

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: