Início » Alagoas » Maceió


Maceió - Alagoas



Maceió é um município da Microrregião de Maceió, na Mesorregião do Leste Alagoano, no estado de Alagoas, na Região Nordeste do Brasil. É a capital do estado. Ocupa uma área de 510 655km². Sua população em 2011 estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística era de 936 608 habitantes. Seu território possui, aproximadamente, 503km². Integra, com outros dez municípios, a Região Metropolitana de Maceió, totalizando cerca de 1 160 393 habitantes, sendo o mais populoso de Alagoas o 17º de todo o país e o 73º do continente americano.

A cidade tem uma temperatura média anual de 25 a 29 graus centígrados. Na vegetação original do município, pode-se observar a presença de herbáceas (gramíneas) e arbustivas (poucas árvores e espaçadas). Com uma taxa de urbanização da ordem de 99,75 por cento, seu [Índice de Desenvolvimento Humano é de 0,735, considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o primeiro do estado.

Faz divisa com cidades como Rio Largo, Satuba, Marechal Deodoro, Paripueira entre outras às quais é ligada pelas BR-101, BR-104, BR-316 e AL 101, Maceió é a principal cidade do estado e, atualmente, vive um intenso crescimento econômico e de infraestrutura, sendo uma cidade considerada capital regional A, segundo a hierarquia urbana do Brasil. É o maior produtor brasileiro de sal-gema. Seu setor industrial diversificado é composto de indústrias químicas, açucareiras e de álcool, de cimento e alimentícias. Possui agricultura, pecuária e extração de gás natural e petróleo. Possui o maior produto interno bruto do estado, 9 143 488 000 reais: o 41º maior do país.

História da cidade de Maceió

O povoado que deu origem ao Município de Maceió surgiu num engenho de açúcar. Antes de sua fundação , em 1609, morava em Pajussara, Manoel Antônio Duro que havia recebido uma sesmaria de Diogo Soares, alcaide-mor de Santa Maria Madalena. As terras foram transferidas depois para outros donos e em 1673 o rei de Portugal determinou ao Visconde de Barbacena que construísse um forte no Porto de Jaraguá para evitar o comércio ilegal do pau-brasil.

O nome Maceió tem denominação tupi "Maçayó" ou "Maçaio-k" que siginifica "o que tapa o alagadiço".

O povoado tinha uma capelinha em homenagem a Nossa Senhora dos Prazeres construída onde hoje está a igreja matriz, na Praça Dom Pedro II . O desenvolvimento do povoado foi impulsionado pelo porto de Jaraguá sendo desmembrado da Vila das Alagoas em 5 de dezembro de 1815, quando D. João VI assinou o alvará régio.

Com a emancipação política de Alagoas , em 1817 , o governador da nova Capitania , Sebastião de Mélo e Póvoas iniciou o processo de transferência da capital para Maceió, um processo tumultuado que encontrou resistência de homens públicos e da Câmara Municipal.

Expedições militares de Pernambuco e da Bahia chegaram a Maceió para garantir a ordem, e no dia 16 de dezembro de 1839 foi instalada a sede do governo em Maceió. A partir daí, Maceió consolidou seu desenvolvimento administrativo e político. Teve início uma nova fase no comércio e começou a industrialização.

As principais atrações da cidade são suas praias, destacando a piscina natural de Pajuçara, a Lagoa de Mundaú, os mirantes e os núcleos artesanais, onde se destaca o bairro do Pontal da Barra. Além das festas tradicionais, a cidade comemora a festa de sua padroeira Nossa Senhora dos Prazeres em 27 de agosto, o aniversário de Maceió, de 5 a 9 de dezembro, e o Maceió Fest, carnaval fora de época, no mês de dezembro.

Gentílico: maceioense

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Maceió, por resolução régia de 09-06-1819 e por alvará de 05-07-1821, subordinado a antiga vila de Alagoas. Elevado à categoria de vila com a denominação de Alagoas, pelo alvará de 05-12-1815, desmembrado de Vila de Alagoas. Instalado em 29-12-1816.

Pelo Alvará de 05-07-1821 e por lei provincial nº 461, de 27-06-1865, é criado o distrito de Jaraguá e anexado a Vila de Maceió. Elevado à condição de cidade, sede e capital com a denominação de Maceió, pela lei ou resolução provincial nº 11, de 09-12-1839.

Pela lei estadual nº 386, de 24-05-1904, é criado o distrito de Bebedouro e anexado ao município de Maceió.Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 3 distritos: Maceió, Bebedouro e Jaraguá.

Pela lei estadual nº 1101, de 07-06-1927, o município de Maceió adquiriu do município de Santa Luzia o distrito de Fernão Velho.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 5 distritos: Maceió, Bebedouro, Fernão Velho, Jaraguá e Meirim.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 3 31-XII-1937, o município aparece constituído de 8 distritos: Maceió, Bebedouro, Farol, Fernão Velho, Jaraguá, Meirim, Pajussara e Poço.

Pelo decreto-lei estadual nº 2361, de 31-03-1938, os distritos de Bebedouro, Farol, Fernão Velho, Jaraguá, Meirim, Pajussara e Poço, perderam a categoria de distrito, sendo anexados ao distrito sede de Maceió, como simples zona administrativa.

No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído do distrito sede.

Pela lei estadual nº 1473, de 17-09-1949, são criados os distritos de Fernão Velho e Floriano Peixoto, criados com terras do sub distrito de Meirim.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: Maceió, Fernão Velho e Floriano Peixoto.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VI-1995.

Em 08-01-1998, são extintos distritos de Fernão Velho e Floriano Peixoto, sendo seus territórios anexados ao distrito sede do município de Maceió .

Em divisão territorial datada de 2003, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte: IBGE

Código do Município

2704302

Gentílico

maceioense

Prefeito

RUI SOARES PALMEIRA

População
População estimada [2018]1.012.382 pessoas  
População no último censo [2010]932.748 pessoas  
Densidade demográfica [2010]1.854,10 hab/km²  
Trabalho e Rendimento
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]2,7 salários mínimos  
Pessoal ocupado [2016]273.817 pessoas  
População ocupada [2016]26,8 %  
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]38,8 %  
Educação
Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]95 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental [2015]4,3  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental [2015]3  
Matrículas no ensino fundamental [2017]120.129 matrículas  
Matrículas no ensino médio [2017]32.639 matrículas  
Docentes no ensino fundamental [2015]5.764 docentes  
Docentes no ensino médio [2017]2.205 docentes  
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]434 escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2017]139 escolas  
Economia
PIB per capita [2016]20.853,41 R$  
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]62,7 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]0,721  
Total de receitas realizadas [2017]2.341.739,00 R$ (×1000)  
Total de despesas empenhadas [2017]2.223.471,00 R$ (×1000)  
Saúde
Mortalidade Infantil [2014]14,27 óbitos por mil nascidos vivos  
Internações por diarreia [2016]0,7 internações por mil habitantes  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]148 estabelecimentos  
Território e Ambiente
Área da unidade territorial [2017]509,552 km²  
Esgotamento sanitário adequado [2010]47,1 %  
Arborização de vias públicas [2010]57,1 %  
Urbanização de vias públicas [2010]32,7 %  
Notas & Fontes

Notas:

  1. População ocupada: [pessoal ocupado no município/população total do município] x 100

  2. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: [População residente em domicílios particulares permanentes com rendimento mensal de até 1/2 salário mínimo / População total residente em domicílios particulares permanentes] * 100

  3. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: [população residente no município de 6 a 14 anos de idade matriculada no ensino regular/total de população residente no município de 6 a 14 anos de idade] x 100

  4. Docentes no ensino médio: Os docentes referem-se aos indivíduos que estavam em efetiva regência de classe na data de referência do Censo Escolar., No total do Brasil, os docentes são contados uma única vez, independente se atuam em mais de uma região geográfica, unidade da federação, município ou localização/dependência administrativa., No total da Região Geográfica, os docentes são contados uma única vez em cada região, portanto o total não representa a soma das regiões, das unidades da federação, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total da Unidade da Federação, os docentes são contados uma única vez em cada Unidade da Federação (UF), portanto o total não representa a soma das 27 UFs, dos municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., No total do Município, os docentes são contados uma única vez em cada Município, portanto o total não representa a soma dos 5.570 municípios ou das localizações/dependências administrativas, pois o mesmo docente pode atuar em mais de uma unidade de agregação., Não inclui os docentes de turmas de Atividade Complementar e de Atendimento Educacional Especializado (AEE)., Os docentes são contados somente uma vez em cada localização/dependência administrativa, independente de atuarem em mais de uma delas., Inclui os docentes que atuam no Ensino Médio Propedêutico, Curso Técnico Integrado (Ensino Médio Integrado) e Ensino Médio Normal/Magistério de Ensino Regular e/ou Especial.

  5. Internações por diarreia: [número de internações por diarreia/população residente] x 1000

  6. Esgotamento sanitário adequado: [população total residente nos domicílios particulares permanentes com esgotamento sanitário do tipo rede geral e fossa séptica / População total residente nos domicílios particulares permanentes] x 100

  7. Arborização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com arborização/domicílios urbanos totais] x100

  8. Urbanização de vias públicas: [domicílios urbanos em face de quadra com boca de lobo e pavimentação e meio-fio e calçada/domicílios urbanos totais] x 100


Fontes:

  1. População estimada: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1o de julho de 2018

  2. População no último censo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  3. Densidade demográfica: IBGE, Censo Demográfico 2010, Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2011

  4. Salário médio mensal dos trabalhadores formais: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  5. Pessoal ocupado: IBGE, Cadastro Central de Empresas 2016. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  6. População ocupada: IBGE, Cadastro Central de Empresas (CEMPRE) 2016 (data de referência: 31/12/2016), IBGE, Estimativa da população 2016 (data de referência: 1/7/2016)

  7. Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo: IBGE, Censo Demográfico 2010

  8. Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade: IBGE, Censo Demográfico 2010

  9. IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  10. IDEB – Anos finais do ensino fundamental: MEC/INEP - Censo Escolar 2016

  11. Matrículas no ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  12. Matrículas no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  13. Docentes no ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  14. Número de estabelecimentos de ensino fundamental: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  15. Número de estabelecimentos de ensino médio: Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - INEP - Censo Educacional 2017

  16. PIB per capita: IBGE, em parceria com os Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

  17. Percentual das receitas oriundas de fontes externas: Secretaria do Tesouro Nacional (STN) - Balanço do Setor Público Nacional (BSPN) 2015

  18. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM): Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD

  19. Total de receitas realizadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  20. Total de despesas empenhadas: Contas anuais. Receitas orçamentárias realizadas (Anexo I-C) 2017 e Despesas orçamentárias empenhadas (Anexo I-D) 2017. In: Brasil. Secretaria do Tesouro Nacional, Siconfi: Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro. Brasília, DF, [2018]. Disponível em: https://siconfi.tesouro.gov.br/siconfi/pages/public/consulta_finbra/finbra_list.jsf. Acesso em: set. 2018

  21. Mortalidade Infantil: Ministério da Saúde, Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde - DATASUS 2014

  22. Internações por diarreia: Ministério da Saúde, DATASUS - Departamento de Informática do SUS, IBGE, Estimativas de população residente

  23. Estabelecimentos de Saúde SUS: IBGE, Assistência Médica Sanitária 2009

  24. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2018

  25. Esgotamento sanitário adequado: Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

  26. Arborização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

  27. Urbanização de vias públicas: IBGE, Censo Demográfico 2010

Ajude a divulgar a Histórias de sua cidade.

Se você encontrou algum dado incorreto ou acha que pode melhorar essas informações, entre em contato conosco ou envie seu texto para gente.


Maceió: Imagens da cidade e Região

imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-1
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-2
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-3
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-4
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-5
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-6
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-7
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-8
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-9
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-10
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-11
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-12
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-13
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-14
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-15
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-16
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-17
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-18
imagem de Macei%C3%B3+Alagoas n-19

Disponibilizamos uma vasta lista de hotéis de variados preços no município de Maceió e arredores.


Você conhece a cidade de Maceió? Então deixe seu comentário!


Comentários (1)

  1. Marcos Calebe's avatarMarcos Calebe

    Prezados, bom dia!

    Meu nome é Marcos. Sou da empresa DUO. Com 26 anos de experiência em Robótica apresentamos uma nova tecnologia de Robô de CHAPISCO com eletrodos para usinas.

    Nosso Robô já rodou com sucesso nesta safra de 2017 em dois grupos e agora queremos expandir os testes para outros. Por gentileza encaminhar esse email para a pessoa responsável. Caso seja do interesse fazer uma apresentação e proposta para 2018 me avise. Em nosso site há varios vídeos www.duo.com.br

    Atenciosamente

    Marcos Calebe

    (19) 98182-9096

    #1 – 13/04/2018 - 04:36

Postar um comentário

     (Opcional)




Estados





Compartilhe Esta Página: